Guerra declarada!

Esquentou de vez o clima de campanha antecipada para as eleições estaduais desse ano. Ontem, Braga confirmou o que grande parte da imprensa local, inclusive o Radar, já dava como fato certo, há muito tempo: sua pré-candidatura ao Governo do Estado. Por parte do vice-governador José Melo, a confirmação da pré-candidatura ao Governo veio bem antes, ainda no ano passado, assim como as articulações políticas, a cooptação de lideranças, e até a aproximação com adversários. Tanto Braga, quanto Melo, ainda mantinham a pose da cordialidade nas relações. Mas, nos três últimos dias, as opiniões ditas aos jornalistas vêm em tom de recado, e daqueles mal-educados. A animosidade é visível. Braga chega quase à ironia quando diz que o “mais importante e definitivo para sua candidatura é o apoio do povo do Amazonas e a vontade de Deus”, minimizando desta forma a incansável busca de Melo por apoio político. E no melhor estilo “fui eu que fiz” – frase que lembra muito outro governador  –fala de Prosamim, da construção de casas próprias, de escolas de tempo integral…Já Melo não deixa por menos, assumindo a mesma postura de diminuir a importância da candidatura de Braga, analisando que qualquer um pode ser candidato, “basta querer”.

Foto de recordação

Papai Adail

E tem gente que na hora de declarar guerra costuma esquecer de que “tropa” já fez parte, além de demonstrar que ainda acredita naquela premissa de que “o povo tem memória curta”. Pelo menos no caso de Coari, chegou ontem ao Radar, uma foto enviada por um dos nossos leitores antenados, lembrando do tempo em que Adail e Sabino eram unha e cutícula.

Caça ao Magalhães

Outra declaração de guerra, segunda nossos parceiros muito bem informados de Coari, teria sido feita pelo prefeito Adail Pinheiro contra o empresário Raimundo Magalhães, o segundo colocado nas eleições de 2012, a quem Adail tem responsabilizado pelas atuais denúncias contra ele por crime de abuso sexual contra crianças e adolescentes. O prefeito já teria mandado sua procuradoria começar um processo de desapropriação do terreno em que fica o posto de gasolina do empresário, transformando-o –diz que já tem até croqui da obra – em estacionamento do cemitério de Coari, o Santa Terezinha.  Mas, que alma boa tem esse Adail, né gente?

E dá-lhe multa!

E tem também o fato de que Raimundo Magalhães alugou um terreno para outro empresário que fica bem na orla fluvial de Coari, e que o dito empresário teria transformado numa espécie de porto particular. A ordem dada pelo prefeito Adail Pinheiro teria sido para que os fiscais da Prefeitura não poupassem na expedição de multas contra Magalhães pela instalação de porto irregular.

Sem abiu

Esta semana perguntamos se os vereadores de Coari tinham comido abiu já que, segundo o povo de lá, nem esboçam a reação de abrir a boca quando o assunto é Adail Pinheiro. Mas, um deles, o vereador-sobrinho do prefeito, Keiton Pinheiro, decidiu descolar a boca, e logo numa entrevista de rádio, onde disse coisa que até Deus duvida pela falta de tato. Foi defender Adail e piorou tudo com as suas declarações absurdas, em tom de ameaça, até mesmo contra a Rede Globo. E já tem amigo lá de Coari dizendo que Adail decidiu mandar uma saca de abiu para o sobrinho.