Há menos de um mês à frente do Palmeiras, Leila enfrenta críticas de torcedores

Reprodução/Facebook

Leila Pereira não completou sequer um mês na presidência do Palmeiras, mas já se tornou alvo de protestos de parte da torcida. A insatisfação dos palmeirenses tem a ver com o insucesso, por ora, na busca de um camisa 9 de peso, e foi potencializada nesta terça-feira com a demissão de Marcos Costi, locutor por oito anos do Allianz Parque.

A hashtag #foraLeila esteve entre os assuntos mais comentados do Twitter nesta terça-feira. Os torcedores se revoltaram com o desligamento de Costi e cobraram da mandatária a contratação de um camisa 9. Embora tenha tido que um dos pilares de sua gestão seria aproximar o torcedor do clube – fez a promessa de brigar por ingressos acessíveis e reduzir o preço da camisa da Puma – ela passou a bloquear nas redes sociais alguns palmeirenses críticos de sua gestão. O diretor Anderson Barros também é alvo frequente de questionamentos.

Marcos Costi era a voz do Allianz Parque desde 2014. Ele era muito conhecido pelos torcedores por seus bordões durante as partidas e benquisto pelos palmeirenses, que o consideravam representados pelo profissional pela emoção transmitida nas narrações. O locutor está de férias e soube na segunda-feira de sua demissão.

A nova diretoria, porém, entende que é necessário promover uma readequação financeira em alguns cargos, e o do locutor é um deles. Também foram desligadas outras duas colaboradoras do departamento de comunicação. Cabe lembrar que em dezembro, Roberto Trinas, antigo diretor de marketing, foi demitido antes mesmo de Leila assumir o cargo mais proeminente da agremiação.

O Estadão apurou com pessoas próximas a Leila que não haverá novas demissões no departamento de futebol. Os interlocutores dizem que tratam-se de dispensas pontuais que a mandatária fez buscando uma readequação financeira. Eles afirmam que não está em curso uma reformulação no setor de comunicação ou em qualquer outra área. As vagas serão respostas.

Ainda não há um nome definido para substituir Costi. Certo é que não será Fernando Galuppo, historiador do Palmeiras. Ele afirmou que não foi convidado para a função e que, se for, não aceitará.

A reportagem soube que o clube planeja convidar palmeirenses ilustres, entre eles atores, cantores e jornalistas, para trabalhar ao lado do narrador em todas as partidas no time no Allianz Parque. Esse convidado será responsável por anunciar a escalação da equipe, por exemplo.

Sobre reforços, o clube acertou com o zagueiro Murilo, ex-Cruzeiro, e tenta convencer o argentino Lucas Alario, atualmente no Bayer Leverkusen, a ser o camisa 9 da equipe no Mundial de Clubes. Leila afirmou reiteradas vezes que não fará nenhum movimento no mercado que prejudique o clube financeiramente e que agirá com responsabilidade financeira.