Há quatro dias do Festival de Parintins, apagão de telefonia celular e internet traz prejuízos ao comércio e tira do ar sistema bancário

bumbódromoE enquanto o prefeito de Parintins, Alexandre da Carbrás (PSD) está preocupado é em investir em shows como o do cantor Gusttavo Lima, que se apresentará na Festa dos Visitantes, realizada um dia antes da abertura do Festival de Parintins, a cidade (a 396 quilômetros de Manaus) amanheceu nesta segunda-feira,  23, com “apagão” nos serviços de voz e de dados de Internet das operadoras Vivo e Tim, causando prejuízos financeiros ao comércio e a mais de 15 mil clientes das duas companhias.

A falta do “sinal” começou por volta das 7h e só foi normalizado às 12h. Durante todo o dia os serviços oscilavam, deixando os usuários revoltados com a falta de respeito das operadoras e o descaso do Poder Público. O comerciante Antonio Duarte, 46 anos, por exemplo, viu fora ao ar as máquinas de pagamento por meio de cartões de débito e crédito no caixa da loja de confecções. “E agora quem vai pagar meu prejuízo?”, questionou Duarte, cliente Vivo.

O “apagão” também deixou fora do ar os serviços bancários nos terminais 24hs. A aposentada Maria Eugênia Lima, 68, tentou sacar ontem os benefícios do Bolsa Família e foi surpreendida com o anúncio que “o sistema estava fora do ar”.

Mas a precariedade dos serviços das operadoras de celular em Parintins não é nenhuma novidade e fica mais evidente no período de festa. “Aqui já estamos acostumados com essa falta de respeito”, reclamou o taxista Justino Matos, 54.

Ele citou os constantes apagões de energia elétrica como outro exemplo da falta de serviços essenciais em Parintins. E justamente a queda de energia foi o motivo do cancelamento do primeiro dia de capacitação da Campanha de Combate ao Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, realizado no Centro do Idoso, no bairro Paulo Corrêa, em Parintins.

E ainda assim, o Procon não deve mandar servidores para atuar durante o festival.