Hemoam inicia o ano com estoque de sangue abaixo do ideal

Foto: Divulgação Hemoam

O Amazonas começou o ano de 2021 com a metade do volume considerada ideal em termos de estoque de sangue. De acordo com dados da Agência Brasil, a Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (Hemoam) coletou em 2020 4,6% menos bolsas de sangue do que em 2019 (foram 51.800 doações contra 54.300).

A habitual preocupação com os estoques, principalmente durante o período de festas de fim de ano e férias de verão, este ano foi potencializada pelas mudanças comportamentais impostas pela pandemia da covid-19, que afastou muitos doadores ao longo do ano passado.

 

A maior preocupação é com o volume armazenado de sangue do tipo O+, que representa cerca de 70% da demanda estadual, e com todos os de fator RH negativo, menos comuns entre a população brasileira e, portanto, mais difíceis de obter.

O Ministério da Saúde ainda não tem os números consolidados, mas estima que, em 2020, o medo da doença que, no Brasil, matou 197,7 mil pessoas até essa terça-feira (5), pode ter causado uma diminuição da ordem de 15% a 20% no total de doações de sangue em comparação a 2019. Ainda de acordo com o MS, não houve registros de desabastecimento ao longo de 2020.