Hemoam tem queda no estoque de sangue e convoca doadores em Manaus

Foto: Divulgação

A pandemia e o isolamento social prejudicou também a Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas ( Hemoam), no setor de doação de sangue. Para quem é doador, antes da pandemia ir até um centro de coleta da capital de três em três meses era algo rotineiro, porém com o isolamento social e as precauções para fugir das contaminações, dificultaram o processo.

Apesar disso, a necessidade de renovar o banco de sangue é constante, pois as cirurgias emergenciais, os tratamentos médicos que necessitam de reposição de sangue necessitam muito da ajuda da rede de doadores, que já conta com uma baixa adesão. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada mil brasileiros, apenas 16 doam sangue.

Em Manaus, com uma população de 2,02 milhões de habitantes, os números também sofreram uma drástica redução. Na semana em que foi comemorado o Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue (25 de novembro), a Hemoam registrou uma queda de 7,5% em doações, no período de janeiro a novembro de 2020.

No começo do ano de 2021 houve uma redução ainda mais drástica. Com o baixo comparecimento de doadores nos primeiros dias do ano, o estoque de sangue da Fundação atingiu o nível crítico, com 50% da quantidade ideal. Em fevereiro o hemocentro registrou queda de 60% no número de bolsas disponíveis para transfusão. O mês de março que ainda nem chegou ao fim já registra uma queda de 70% nas doações.

A situação atual dos tipos sanguíneos A+, O+ e O- é preocupante. Mais de 80% da demanda em todo estado gira em torno desses fatores. A disponibilidade de bolsas desses grupos está 70% abaixo da meta no estoque.

“Estamos numa situação um pouco mais precária do que ano passado, considerando que estamos enfrentando uma versão mais grave do vírus. Além disso, estamos no inverno em que chuvas constantes acaba inibindo a saída das pessoas de suas casas. Se continuar desse jeito vamos ter que racionalizar o atendimento das demandas de sangue para os hospitais públicos e privados da capital e interior”, destacou o diretor clínico do Hemoam, Nelson Fraiji.

Mobilização social para doação de sangue

Nesta semana o Hemoam começou a acionar os hospitais que recebem produtos sanguíneos do hemocentro para ajudarem na reposição dos estoques. “Sempre que um paciente precisa de sangue é necessário um trabalho educativo da equipe de assistência junto à família desse paciente para mobilizar parentes e amigos na reposição dessas bolsas utilizadas”, explicou Fraiji.

O professor Victor Hugo é portador do tipo sanguíneo O-, “Deixei de doar pois meu pai está com câncer. Como o acompanho em alguns tratamentos e continuo trabalhando, tenho pouco tempo livre para ir ao Hemoam. Além disso tenho medo de contrair o vírus e passar para o meu pai que está com a imunidade baixa”, conta ele.

Embora o medo de contrair o vírus ao sair de casa seja um dos principais impeditivos para a doação de sangue, o Ministério da Saúde afirma que a atividade é segura: os hemocentros estão localizados onde não há riscos de contaminação e todos os profissionais são devidamente paramentados. Além disso, muitos bancos de sangue fazem agendamento on-line para evitar aglomerações de pessoas.

Desconto em corrida por aplicativo

De acordo com o Hemoam, a parceria da fundação com a empresa 99 App, de transporte por aplicativo, continua valendo até a próxima segunda-feira, dia 22. A empresa está disponibilizando cupons com desconto de R$15 na ida e mais R$ 15 na volta, de viagens com destino ao Hemoam.

Para aproveitar o desconto é necessário inserir a palavra DOESANGUEMAO, na aba “cupom de desconto”, do aplicativo da 99. A promoção disponibiliza um total de mil cupons que podem ser utilizados até o dia 22.

Como doar sangue

Para ser doador, é preciso ter entre 16 e 69 anos, pesar mais de 50 quilos e estar com boa saúde. Menores de 18 anos só podem doar com a presença dos pais ou responsável legal. É preciso estar bem alimentado e apresentar documento oficial com foto.

Quem contraiu Covid-19 ou outras síndromes respiratórias agudas, a doação pode ser realizada após 30 dias do desaparecimento total dos sintomas.

As doações estão sendo realizadas exclusivamente na sede da Fundação Hemoam, na avenida Constantino Nery, 4397, Chapada.

A unidade de coleta da Maternidade Ana Braga, na zona leste de Manaus, está temporariamente fechada para segurança dos doadores, em virtude da pandemia.

(*) Com informações da assessoria