Homem é condenado a 35 anos de prisão após estupro e tentativa de homicídio contra criança

O Conselho de Sentença da 1ª Vara do Tribunal do Júri condenou  Marilso Seixas da Silva a 35 anos de reclusão em regime fechado pelos crimes de estupro e tentativa de homicídio contra um garoto de seis anos, em dezembro de 2015.

Segundo a investigação policial que originou a ação do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE), no dia 6 de dezembro de 2015, Marilso Seixas da Silva atraiu uma criança de seis anos para sua residência, na Compensa, zona Oeste. O acusado levou a criança para casa dizendo que cortaria seu cabelo, mas, ao chegar no local, trancou a vítima em um quarto e tentou o estupro. A vítima ainda foi asfixiada e o ato não foi consumado devido à chegada de um irmão da criança que, com a ajuda de terceiros, conseguiu retirar a criança do local.

Na época, Marilso foi preso por policiais militares da 8ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) e encaminhado à Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA). A titular da Especializada na época, delegada Juliana Tuma, informou que Marilso abusou sexualmente do menino e ainda tentou matá-lo ao enforca-lo com suas mãos. A vítima desmaiou e só acordou no hospital.

No inquérito consta que Marilso convidou a vítima e o irmã dela, de 13 anos, para a casa dele alegando que iria cortar o cabelo dos dois. Ao chegar a casa do suspeito, o irmão maior de idade percebeu que Marilso estava bastante embriagado e foi embora, deixando seu irmão menor na casa.

A mãe das crianças ordenou que o de 13 anos retornasse a casa de Marilso para pegar o irmão e quando chegou ao local se deparou com o menor caído ao chão desacordado, com sinais de estrangulamento e com os olhos quase extraídos.

Marilso negou, na época, que tivesse cometido qualquer crime. Após a condenação, na última sexta-feira (30), o defensor público Antônio Ederval Lima, que atuou na defesa de Marilso, afirmou que recorrerá da decisão.

Com informações do TJAM.