Homem é preso acusado de estuprar ex-enteada de 11 anos

Foto: reprodução

Um sanfoneiro de 33 anos, identificado como Bruno do Acordeon, foi preso na noite desta segunda-feira (19) suspeito de estuprar sua ex-enteada, uma menina de 11 anos. Segundo informações a criança estava em uma residência localizada no bairro Santa Etelvina, Zona Norte de Manaus.

De acordo com informações do tio da vítima, a criança estava desaparecida desde o último sábado (17). “Minha sobrinha mora no grande vitória junto com o pai e a outra irmã. Quando ela desapareceu a polícia entrou em contato com esse ex padrasto para perguntar se ela teria passado por lá, mas ele disse não sabe do paradeiro dela, e ainda disse que queria ajudar a polícia a encontrá-la”, disse.

Esclarecimentos na Delegacia

Na delegacia, o pai da vítima relatou que no momento em que o suspeito chegou na casa dele para entregar a criança, o sanfoneiro ainda tentou mentir dizendo que não sabia por que a menina havia aparecido na casa dele e demonstrou preocupação.

Passar dessa situação, o pai da criança teria encontrado mensagens do ex padrasto no celular da menina aonde ele dizia amar a criança e ainda querer ficar com ela. “Quando meu irmão viu essas mensagens logo ele desconfiou esse cara, e após recebemos denúncias sobre o paradeiro da minha sobrinha, a polícia fez uma operação e foi até o endereço onde encontrou os dois juntos”, disse.

Na Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA), ao serem questionandos, vítima e suspeito negaram ter algum tipo envolvimento, mas depois contaram a verdade.

“Ela confessou que eles viviam um romance. Ele também confessou que estava com ela. Uma uma amiga da minha sobrinha contou que os dois estavam planejando fugir, mas isso não foi confirmado”, completou.

A mãe da criança morreu em janeiro desse ano, por complicações de covid-19. E mesmo após sua morte, o viúvo e a filha, mantinham contato.

O caso ainda está em andamento, ambos ainda farão exame de corpo de delito. A criança recebeu atendimento psicossocial e o suspeito permanece à disposição da justiça.