Homem que matou mulher queimada é condenado a mais de 33 anos de prisão

Joaby Evangelista de Araújo foi condenado a mais de 33 anos de prisão pelo assassinato da companheira dele, a professora Maria Lídia França de Lima. O crime ocorreu em maio de 2017 e, na ocasião, o homem jogou gasolina no corpo de Maria, acendeu um isqueiro e ateou fogo.

O acusado foi submetido a julgamento perante o Júri Popular da Comarca de Tefé, pela prática do delito acima identificado.

De acordo com a promotora de Justiça, Fábia Oliveira, o motivo foi considerado torpe, premeditado e associado ao feminicídio, que ocorre na presença de relação afetiva, quando o crime é praticado contra a mulher em razão do seu gênero feminino ou sempre que o crime estiver atrelado à violência doméstica e familiar.

No dia do crime, a vítima chegou a ser socorrida pelo filho e vizinhos. Em seguida foi levada ao Hospital Regional de Tefé, em estado grave e faleceu no dia 1º de junho, no Hospital 28 de Agosto, já em Manaus.

Entenda o caso

No dia 27 de maio do ano de 2017, na rua Raimundo Lima, bairro Jerusalém, do município de Tefé (distante 522,3 de Manaus) Joaby Evangelista primeiramente espancou a vítima, em seguida jogou gasolina e ateou fogo em todo o corpo de sua companheira, por motivo fútil. O crime ocorreu na presença do filho do casal.

A vítima teve queimadura de 3º grau em 90% do corpo e veio a óbito cinco dias depois.

(*) Com informações do MP-AM