Integrante de quadrilha morre em tentativa de assalto após justiceiro reagir

Foto: reprodução

Eliabe Leal Ramos Xaud, de 19 anos, morreu a tiros na manhã desta quinta-feira (22) após ter participado de uma tentativa de assalto. A ação criminosa que resultou na morte do jovem, aconteceu por volta das 8h30, quando junto de mais três pessoas, anunciaram um assalto em uma padaria localizada na avenida Tefé, bairro Japiim, Zona Sul de Manaus. O assalto foi interrompido por um justiceiro que reagiu ao crime e atirou contra a quadrilha.

Policiais militares da 3ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), sob o comando do tenente Marcelo Paulino, foram acionados para o local com denúncia de assalto e tiroteio, e ao chegarem no local constataram o óbito.

“Os funcionários do estabelecimento que foi alvo da ação criminosa, contaram que duas mulheres chegaram no local e cinco minutos depois dois homens, e se passaram por clientes. No momento em que foram efetuar o pagamento, eles anunciaram o roubo, nesse momento um cliente que também estava na padaria, reagiu ao assalto atirando contra dos suspeitos”, explicou.

A quadrilha fugiu do local, mas Eliabe caiu no beco Cabral e morreu no local. Já os outros três suspeitos foram levado ao Serviço de Pronto Atendimento (SPA) da Zona Sul, onde receberam atendimento médico.

Foto: reprodução

Prisão

A guarnição foi até a unidade de saúde e encontrou os outros suspeitos do roubo recebendo atendimento. Então deram voz de prisão para Leiane de Souza Costa, de 19 anos, Marcelo Melo de Souza, de 37 anos e a adolescente I.S.C de 17 anos.

No SPA Marcelo e a menor foram detidos e levados ao 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP) onde foram apresentados, mas Leiane continua internada na unidade de saúde, e assim que receber alta médica, também será conduzida à delegacia.

Depois a adolescente foi encaminhado à Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (DEAAI) onde as diligência foram concluídas.

Investigação

O delegado Guilherme Antoniazzi, plantonista da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) esteve no local do crime e colheu mais detalhes do caso para poder solucionar o caso.

“As informações que temos são apenas sobre a vítima. A família contou que quando era menor de idade teria sido apreendido por tráfico de drogas. Os outros envolvidos já foram encontrados, serão levado à delegacia para que as vítimas reconheçam os procedimentos prossigam”, contou Antoniazzi.

Até o momento da publicação desta matéria, o suspeito de ter matado o jovem e atirado na comparsa, não foi encontrado.