Irmão de vereador de Coari é preso sob suspeita de “pirataria”


Três homens foram presos acusados de envolvimento em crimes de pirataria nos rios do Amazonas. Um deles é irmão de um vereador da Câmara Municipal de Coari (a 363 quilômetros de Manaus). O trio é suspeito de roubar uma lancha durante a travessia para o município do Careiro do Castanho, nesse sábado (11). A informação é do Portal do Caboco.

Segundo a publicação no site, a Polícia começou a investigar o envolvimento de “piratas” com políticos de Coari o que “ficou mais evidente com a prisão desse parente do vereador”, afirmou um policial que pediu para não ser identificado.

Os três suspeito já foram alcançados e presos, ontem mesmo à noite, no Rio Solimões, na Comunidade do Camará no Município de Coari, onde a lancha foi recuperada, além de armas, munições e outros materiais.

De acordo com o delegado José Barradas Junior, após ser roubada em Manaus, a lancha Expresso Gama III equipada com 02 ( dois) motores SUZUKI 200HP foi vista ainda pela manhã e no final da tarde, na Comunidade do Camará limite entre Coari e Codajás.

Os infratores teriam chegado no local, perguntando por um cidadão conhecido da Polícia por participação em pirataria de rio e tráfico de drogas. Ainda segundo as informações, o cidadão infrator receptou a embarcação e a ocultou juntamente com outras duas pessoas.

Os Policiais Militares foram até a Comunidade, onde chegaram por volta das 22h. No local, a PM localizou o receptador da embarcação e apreendeu uma espingarda calibre 16 e um revólver calibre 38.

Na mesma residência, conforme a reportagem, foram apreendidas ainda duas latas de tintas spray que seriam usadas na descaracterização da lancha.

Após receberem voz de prisão, os infratores disseram que a embarcação estaria escondida cerca de 20 minutos rio acima nas matas de igapó, mas não revelaram os infratores que teriam praticado o roubo, se limitado a dizer que teriam ido para a cidade de Coari.

De acordo com a publicação, os infratores levaram os policiais militares até a entrada de um lago nas margens do Solimões onde a embarcação estava escondida na mata cerca de 200 metros.

Na embarcação, a PM apreendeu ainda uma serra para cortar ferro, tintas spray e diversos papéis, incluindo a documentação da lancha espalhados pelo convés.

A Polícia Militar acredita que o roubo da embarcação teria sido encomendada por líderes de quadrilhas especializadas em “pirataria de rio” e “tráfico de drogas” para serem usadas na prática delituosa e abordagem a “mulas do tráfico” que descem o rio em embarcações velozes e com grande quantidade de drogas.

Ainda segundo a reportagem, os homens foram conduzidos e apresentados na 10ª Delegacia de Polícia Civil em Coari para os procedimentos cabíveis.