Anúncio

Irmão do presidente Messias Bolsonaro liberou mais de R$ 110 milhões para prefeitos

Ele faz o que muita gente chama de “agir nas sombras” e “trabalhar na surdina” afinal, como conta a reportagem da Folha de São Paulo, ele não tem cargo no Governo do seu irmão, o presidente Messias Bolsonaro. Mas, apesar de não ter cargo, Renato Bolsonaro parece mandar mais que ministro do Governo já que, em apenas um ano de governo do irmão-presidente, já conseguiu liberar mais de R$ 110 milhões para prefeituras do interior de São Paulo de correligionários, apaniguados, xerimbabos e outros gêneros.

Originariamente, Renato Bolsonaro sempre foi comerciante e, pelo que parece, é dos bons, levando-se em conta a cifra milionária que tem feito o Governo Federal tirar dos cofres públicos para custear as demandas dessas prefeituras.

Renato Bolsonaro não só consegue a liberação dos recursos federais como, segundo a Folha de São Paulo, “participa das solenidades de anúncios de obras, assina como testemunha contratos de liberação de verbas, discursa e recebe agradecimentos de prefeitos pela ajuda no contato com a gestão federal comandada pelo irmão”.

Coincidentemente – será meu povo? – as prefeituras beneficiadas são das cidades de São Vicente, Itaoca, Pariquera-Açu e Eldorado, município onde moram familiares do presidente.

Diz na matéria da Folha que Renato Bolsonaro nega ser pago pela intermediação na liberação do dinheiro público e afirma que seu serviço é voluntário. Mas ele não explicou quem paga seus gastos com viagens e estadia nas cidades do interior de São Paulo.

Qualquer outro parente de presidente seria acusado de tráfico de influência ou coisas do tipo, mas Renato Bolsonaro posta nas redes sociais todos os seus atos e sem constrangimento torna público sua interferência no governo do irmão.

Já o presidente Messias Bolsonaro que desde a campanha política sempre posou de vestal da moral e dos bons costumes, agora não vê nada de ilegal e nem imoral em confundir o público com o privado.