Já são 17 da trupe de Bolsonaro infectados por um vírus que ele disse que não existia

Montagem: Radar Amazônico

Mais um dos membros da comitiva do presidente Messias Bolsonaro que foi aos Estados Unidos da América está infectado com coronavirus. Desta vez, o exame positivo foi o do ministro-chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), Augusto Heleno. Com mais este caso, já são 17 os integrantes da trupe de Messias Bolsonaro infectados com coronavirus.

Mas, perai, o presidente não disse que o vírus era “fantasia” criada pela imprensa? No dia 09, Bolsonaro deu um “num tô nem ai” para a pandemia de coronavirus que já matou mais de sete mil pessoas no mundo e já infectou mais de 180 mil pessoas. O Messias disse que a Covid-19 “não é tudo isso que a mídia propaga”, preferindo dar mais valor à sua disseminação de ódio contra a imprensa do que preparar a população que o elegeu “comandante” desse país para a “guerra” contra o vírus.

“Outras gripes mataram mais do que esta”, disse Bolsonaro em mais uma de suas declarações infelizes em que trata a morte de pessoas com a mesma banalidade que trata sua função de presidente da República ao colocar um palhaço para representá-lo distribuindo bananas aos jornalistas. As palhaçadas de Bolsonaro podem custar a vida de pessoas, queira Deus que não! E vou rezar até pra que ele tenha razão e, nós jornalistas, estejamos “superdimensionando” – palavra usada pelo presidente – a situação causada pelo coronavirus.

Porém, relatos de cidadãos da Itália, por exemplo, onde o coronavirus já matou 2.158 pessoas até esta quarta-feira (18) e há 28 mil casos da doença, mostram que a pior coisa a se fazer é agir como Messias Bolsonaro, dando declarações que desestimulam a população a combater o vírus, pondo em risco a vida de outras pessoas mais frágeis ao não se isolar diante da possibilidade de estar com o vírus  e fazendo com que as pessoas não encarem a disseminação do vírus com seriedade.

Um vídeo que chegou à redação do Radar mostra isso (Veja vídeo no link: https://bit.ly/38ZO5K9 ) . Nele aparecem cidadãos italianos dizendo que não levavam a sério a contaminação pelo vírus e chegavam até a fazer piada de pessoas usando máscaras pela rua.

E o pior no comportamento do presidente Messias Bolsonaro é que além de tratar com desprezo a saúde e a vida dos brasileiros, ele é lento na tomada de decisões e na implantação de ações de estímulo à economia e apoio aos cidadãos para o enfrentamento desses momentos de crise provocada pelo coronavirus. E já nem sabemos o que mais temos que temer, se o coronavirus ou o bosovirus.