Joel Lobo e Pauderney Avelino tomam PEN de “assalto” para entregar partido a Melo e provocam “implosão” na sigla

joel-pauderney12345Membros do Partido Ecológico Nacional (PEN) contaram ao Radar que a direção nacional da sigla já tinha liberado o partido no Amazonas para ficar na coligação do senador Eduardo Braga (PMDB). Mas, segundo eles, uma “tramoia” foi arquitetada pelo ex-prefeito do Careiro Castanho, Joel Lobo, que é do PEN (e já foi do DEM), junto com o deputado federal Pauderney Avelino (DEM), contando com o apoio do candidato a Senado na chapa de Melo, o ex-governador Omar Aziz, para que a direção nacional do partido intervisse no diretório do partido no Amazonas. Para que a intervenção ocorresse, mais um personagem teria entrado nessa história de tomar o PEN de “assalto” para entregá-lo ao governador José Melo, o irmão do deputado federal Silas Câmara (PSD), o pastor Samuel Câmara, que convocado por Omar Aziz se reuniu com o criador e presidente nacional do PEN, Adilson Barroso, ex-deputado estadual por São Paulo e candidato a deputado federal, e lhe prometeu arrebanhar o apoio de 500 igrejas em São Paulo para ajudá-lo a se eleger  – uma liderança evangélica asseverou ao Radar que o pastor fez juras em vão porque não tem poder de ingerência nesse número de igrejas.

Adilson Barroso fechou o acordo, interviu no partido e afastou os membros da direção da sigla no Amazonas. Só que, com esse ato, teria revoltado a militância e os candidatos do partido, conforme contaram ao Radar os integrantes do PEN. Eles asseguraram que a militância continuará com Braga e que, dos 25 candidatos do partido, três deles sairão por outras siglas porque são militares – há uma legislação específica para o caso de militarem que não precisam estar previamente filiados em partidos -, outros 11 candidatos já desistiram de participar da eleição desse ano, e outros 11 candidatos estão avaliando suas respectivas situações, mas demonstram total insatisfação com a aliança com o PROS de Melo. “Você vai ver essa situação de perto na convenção do partido na terça-feira”, afirmam. (Any Margareth)