Jornalistas levam Nobel da Paz por preservar liberdade de expressão

O Prêmio Nobel da Paz foi atribuído a Maria Ressa e Dmitry Muratov, pelos seus esforços para salvaguardar a “liberdade de expressão, condição essencial para a democracia e uma paz duradoura”.

Segundo a academia, Maria Ressa usa a liberdade de expressão para expor o abuso de poder, o uso da violência e o crescente autoritarismo no seu país natal, as Filipinas.

Já Dmitry Muratov é agraciado por ter defendido durante décadas a liberdade de expressão na Rússia, em condições cada vez mais difíceis. Destaca-se ainda o fato de, em 1993, ter sido um dos fundadores do jornal independente Novaja Gazeta, uma importante fonte de informação sobre aspectos censuráveis da sociedade russa raramente mencionados por outros meios de comunicação.

Os laureados irão receber o prêmio de dez milhões de coroas suecas (quase sete milhões de reais), para além de um diploma e uma medalha.

O Prêmio Nobel da Paz é entregue no dia da morte de Alfred Nobel, a 10 de dezembro, em Oslo, na Noruega. Este é o único dos seis prêmios que é atribuído e apresentado fora da Suécia, em Oslo, por desejo expresso de Alfred Nobel (1833-1896), uma vez que a Noruega fazia parte do reino sueco em seu tempo.