José Melo faz comício no João Paulo II

melo joãoO governador e candidato a reeleição pelo Pros, José Melo, voltou a dar gás na sua agenda política para o segundo turno das eleições. A  largada pela vitória foi marcada com um comício que reuniu mais de três mil populares no bairro João Paulo II, na zona leste de Manaus, na noite desta sexta-feira (10). Lá, Melo defendeu seus principais projetos de governo na área de educação, saúde, habitação e infraestrutura.

Neste sábado, 11 de outubro, Melo retomou as visitas às comunidades ribeirinhas do Livramento e Julião, no entorno da capital, onde fez caminhada e conversou com a população de casa em casa.

Durante o comício no João Paulo II, Melo foi recepcionado calorosamente pelos comunitários que tiraram foto, o cumprimentaram e ouviram atentamente às propostas de trabalho para os próximos quatro anos de governo. O tema educação foi bastante ovacionado depois que Melo se comprometeu em instalar mais dois Centros de Tempo Integral (Ceti) e uma unidade do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam) na zona leste.

“A educação é uma das coisas que mais amo na vida porque foi por ela que minha mãe junto ao meu pai trouxe eu e meus irmãos do seringal para Manaus com o intuito de estudar. Foi através da educação que eu aprendi a ler, me formei na universidade e virei servidor público desse Estado, e hoje, governador”, disse Melo, reafirmando o compromisso de aumentar de 25% para 30% o orçamento da educação.

Para melhorar a saúde, o governo de José Melo estabeleceu a meta de concluir o hospital da Zona Norte, além de modernizar e ampliar grandes hospitais da cidade como a Fundação Cecon, o Hospital Adriano Jorge, o João Lúcio e o Hemoam. “Depois de ampliar e modernizar essas unidades nós teremos em Manaus 900 novos leitos hospitalares. Isso significa reduzir filas de espera por internação e por exames especializados”, garantiu.

Durante o comício, a dona de casa Suleima da Costa, 36, perguntou do governador sobre o plano de governo para a área de habitação. Melo respondeu que vai construir 47 mil unidades habitacionais, sendo 30 mil na capital e 17 mil no interior.

Os questionamentos da população também se estenderam para a área de infraestrutura de ruas. O comerciante, Fernando Damasceno, 43, perguntou se Melo pretende continuar a parceria com a prefeitura que já estão asfaltando ruas nas zonas norte e leste. “Eu não só vou continuar como vou também atender àquelas pessoas que vivem em áreas de produção, mas que estão isoladas pelas condições precárias das estradas vicinais”, respondeu Melo, acrescentando que tem um projeto pré-aprovado com a Confederação Andina de Fomento (CAF) no valor de R$350 milhões para este trabalho.