Deputado sugere que vacinação contra sarampo se estenda a maiores de 49 anos

O deputado estadual José Ricardo (PT), após passar duas semanas fora das atividades políticas e sociais, devido contagio com sarampo, encaminhou nessa quinta-feira (2), uma Indicação à Prefeitura de Manaus e ao Governo do Estado sugerindo que a campanha de vacinação contra a doença seja estendida aos adultos acima de 49 anos.

O Amazonas já tem mais de 500 casos confirmados da doença e mais de 4 mil pessoas notificadas em Manaus e em pelo menos dez municípios do Estado. Ele defende sua indicação lembrando que a primeira vacina contra o sarampo foi introduzida no Brasil na década de 1960, mas, como o imunobiológico era importado do mercado internacional, sua distribuição era feita de maneira descoordenada e descontínua. Sua implementação efetiva no país só foi possível após a criação do Programa Nacional de Imunizações (PNI), em 1973, com a missão de organizar e implementar ações de imunização, promovendo o controle de sarampo, tuberculose, difteria, tétano, coqueluche e pólio e a manutenção da erradicação da varíola. Por isso, muitos que nasceram antes dessa data não foram imunizados.

O parlamentar de 54 anos, não estava dentro da cobertura vacinal e alerta quanto ao risco de contagio. “Quem tem acima de 49 anos e não pegou a doença, está num grupo de risco. Porém, a campanha não abrange esse público. Entendo que o poder público deveria fazer uma reanálise para incluir esse grupo prioritário”, justificou o deputado.

Hoje, o sarampo é uma doença de notificação compulsória. Uma vez diagnosticada, os profissionais de saúde comunicam aos órgãos de vigilância sanitária e de saúde que irão definir procedimentos para que outras pessoas não sejam acometidas. A prevenção é a vacinação, que continua sendo a única forma de evitar a contaminação. É feita de forma gratuita nos postos de saúde do Sistema Único de Saúde, o SUS.