José Ricardo indigna-se com falta de estrutura em escola estadual

jose ricardo-indignação

O deputado José Ricardo Wendling (PT) comentou nesta quarta-feira (24) sobre a Escola Estadual Luizinha Nascimento, na Praça 14 de Janeiro, Zona Sul, que está com sérios problemas estruturais, conforme denunciaram os estudantes dessa unidade de ensino. Eles relataram à imprensa recente desabamento de forro, janelas de vidro quebradas, portas arrancadas, condicionadores de ar que não resfriam e paredes com pinturas descascadas, além de estrutura elétrica bastante comprometida. E ainda contaram que representantes da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) já estiveram no local para fazer análise da estrutura, mas a reforma até agora não foi realizada.

Para o parlamentar, essa é uma triste realidade da falta de prioridade do Governo do Estado com a educação. “Uma situação que prejudica o ensino-aprendizagem e que só ajuda o Estado a permanecer entre os piores do País, no quesito qualidade de ensino”, lamentou José Ricardo.

E ele citou Projeto de Lei de sua autoria, em tramitação na Assembleia Legislativa do Estado (Aleam) desde 2012, que prevê avaliação periódica das estruturas físicas das escolas da rede estadual de ensino, como forma de evitar esse tipo de problema. Pela proposta, essas vistorias seriam realizadas a cada dois anos, com o objetivo de avaliar e elaborar diretrizes de padrões de infraestrutura, a fim de garantir a segurança e a melhoria das estruturas dos prédios escolares.

“E o interessante desse projeto é que os cidadãos interessados poderiam acompanhar essas vistorias, que incluem desde o sistema elétrico, hidráulico, climatização, equipamentos, muros, quadras esportivas, calhas, telhados, condições de pintura, dentre outras áreas. Seria fazer pequenos reparos para não precisar de grandes reformas”, explicou ele, ressaltando a importância dessa proposta ser aprovada e virar lei estadual.

Deputado tem que cumprir horário

O deputado José Ricardo também comentou nesta quarta sobre a reportagem “ALE consagra ‘ficadinha”, publicada pelo Jornal A Crítica, referindo-se à passagem relâmpago dos deputados pelo plenário da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam), e declarou que o primeiro lugar de trabalho do parlamentar é o plenário, denunciando os problemas da sociedade, cobrando soluções e apresentando propostas para a melhoria de vida das pessoas.

“O deputado recebe seu salário, que é um bom salário, e como todo trabalhador deve estar presente no horário e dias das sessões plenárias. É claro que ele tem reuniões externas, participa de audiências, precisa estar presente em diligências e fiscalizações, mas temos que respeitar esta instituição (Aleam), estando presentes nas reuniões diárias, mesmo no período eleitoral”, disse ele, afirmando que dessa forma o parlamentar honra o mandato que exerce e justifica a permanência para um novo mandato.

E sugeriu que Manaus poderia exercitar práticas de outras cidades brasileiras que, por meio de entidades sociais, acompanham o parlamento para divulgar à sociedade. “Assim, a população conhece quem são os políticos assíduos e que discutem os problemas sociais. Uma forma até de fortalecer o poder legislativo e valorizar a política, conscientizando os jovens de que a política é importante e necessária e um instrumento de cobrança por políticas públicas efetivas”, concluiu.