Josué Neto propõe que estados se unam para regulamentar o Novo Mercado do Gás

Foto: Divulgação

A união entre o Amazonas e outros estados com o objetivo de regulamentar o Novo Mercado do gás, foi proposta pelo deputado Josué Neto (PRTB) durante apresentação de dados sobre os benefícios da abertura do Mercado de Gás Natural para o agronegócio e para a economia do país no Agrolab Amazônia 2020. O evento, promovido pelo Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) de Rondônia, na última semana, contou com a participação de deputados de Rondônia, Roraima e Amazonas

O presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) fez a proposta e recebeu o apoio de representantes de outros Estados que se comprometeram a somar esforços pela abertura do mercado do gás com a elaboração de um manifesto a favor da exploração do gás no Amazonas e a conclusão da BR-319 para beneficiar a Região Norte.

De acordo com Josué, o gás é um dos principais insumos da produção de fertilizantes e hoje o Brasil compra de outros países 80% do que é utilizado nas plantações brasileiras, isso porque o custo do gás no Brasil ainda é alto, duas vezes mais caro que na Argentina, por exemplo.

Para ele, a abertura do mercado do gás vai aumentar a competitividade, reduzir o custo do gás no mercado e contribuir para o desenvolvimento das indústrias que também podem utilizar o gás como principal insumo da geração de energia. A medida também pode reduzir o custo de outros insumos, produtos e gerar empregos e outros benefícios para a população.

A projeção do Governo Federal com o novo marco regulatório do gás – que está sendo discutido no Senado – é destravar investimentos na ordem de R$ 60 bilhões e baratear o valor do gás em até 40%.

“Para o Amazonas será muito importante porque nós temos uma previsão, de acordo com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), que em dez anos toda a cadeia econômica vai gerar em torno de três trilhões de reais. No caso de emprego, só no Amazonas serão 40 mil novos empregos a partir dessa Nova Abertura do Mercado de Gás”, disse Josué ao explicar que o que mais o Brasil precisa no momento é empregos.

Josué disse que é responsabilidade do poder público trabalhar para criar ambientes favoráveis para atrair grandes empresas e lamentou a falta de interesse do Governo do Amazonas em criar um ambiente favorável ao mercado do gás.

“Meu registro aqui é de lamentação pela forma que o Poder Executivo do Amazonas não consegue enxergar os benefícios da abertura do mercado do gás para o povo. Os interesses que não são republicanos estão sendo mais importantes, do que a vida do povo”, disse.

O presidente Josué destacou ainda que o gás também pode ser utilizado na geração de energia elétrica na Amazônia. “Hoje a Amazônia brasileira é a única região que ainda utiliza a queima do óleo diesel nas termelétricas. A queima do óleo diesel prejudica a atmosfera, emite poluentes na nossa atmosfera e isso prejudica o planeta inteiro. No caso da utilização do gás natural é uma energia limpa”, explicou Josué Neto, que também ressaltou que o gás natural do Amazonas pode ser distribuído para Rondônia, por meio da BR-319, que está passando por obras.

Ponte Rio Solimões

A construção da Ponte sobre o Rio Solimões, segundo Josué, completaria as medidas necessárias para facilitar e reduzir custos do transporte do gás e outras mercadorias do Amazonas para o restante do país.

O percurso também ligaria a BR-319 a BR-174 transformando o trajeto em uma rota econômica de integração América do Norte – Caribe – Amazônia- Brasil. “O percurso se tornaria uma importante rota econômica de integração do Brasil aos mercados da América do Norte, Europa e Ásia via BR-319, BR-174 e a estrada que liga Boa Vista, Roraima, ao porto de Georgetown, capital da Guiana” disse Josué. Os projetos já estão no Ministério de Infraestrutura.

Apoio

O superintendente do Sebrae em Rondônia, Daniel Pereira, propôs durante o fórum virtual que os Sebraes da Amazônia e os parlamentares do Parlamento Amazônico se articulem para apoiar a exploração de gás no Estado do Amazonas. “Coloco aqui como provocação para os nossos parlamentares, para não deixarmos essa agenda ser uma agenda só do Amazonas, que ela interessa Rondônia. Assumo o compromisso com colegas do Sebrae, de buscar um documento de apoio, como as assembleias legislativas da região para promover essa integração”, afirmou Pereira.

Parlamentares de Rondônia e Roraima também apoiaram a iniciativa. “Tudo isso é importante para levar o crescimento econômico para Amazônia”, afirmou o deputado estadual de Rondônia, Cirone Deiró, que também falou da importância da BR-319 e da necessidade da regularização fundiária na região.

(*) Informações da assessoria