Jovem, 22 anos, viciado em drogas e agora acusado do assassinato de senhora de 57 anos

assassino de senhora de 57 anos 1 capa

Marlisson da Silva Lima, 22, está preso acusado do assassinato da dona de casa Lina Andrade Matos, de 57 anos, ocorrido na última sexta-feira, dia 17. Os delegados Ivo Martins e Daniel Leão, respectivamente titular e adjunto da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), falaram sobre o crime nesta quarta-feira, dia 22, durante coletiva de imprensa realizada às 9h30, no auditório da Delegacia Geral.

assassino de senhora de 57 anos Delegado 1De acordo com o delegado Ivo Martins, o crime aconteceu por voltas das 17h, na casa da vítima, situada na Rua Jucá, Conjunto João Paulo 2, bairro Jorge Teixeira, zona Leste de Manaus. O corpo da dona de casa foi encontrado naquele mesmo dia, pelo neto dela, um adolescente de 15 anos.

Marlisson foi preso na manhã da última segunda-feira, dia 20, por volta das 10h, na residência da mãe dele, localizada na mesma rua onde o assassinato aconteceu. A prisão do jovem ocorreu em cumprimento a mandado de prisão temporária, expedido horas antes, pela juíza Sanã Nogueira Almendros de Oliveira, do Plantão Criminal.

Ao longo da coletiva de imprensa Ivo Martins revelou detalhes do homicídio. “Este caso nos causou comoção por se tratar de uma senhora de 57 anos, morta a facadas dentro da própria casa. Nossas equipes trabalharam incansavelmente até prender o autor do crime. Na delegacia Marlisson alegou ter matado a dona de casa porque é usuário de drogas e ficava consumindo entorpecentes em frente à casa de Lina. Como ela ficava incomodada com a atitude do jovem e sempre o repreendia, ele se irritou e resolveu cometer o crime”, explicou.

Ivo Marins informou que durante oitiva Marlisson confessou, ainda, que após matar a dona de casa ele ainda levou alguns pertences da vítima, que posteriormente foram vendidos por ele em um campo de futebol nas proximidades do local do crime.

assassino de senhora de 57 anos Delegado 2O delegado Daniel Leão destacou o desempenho dos policiais civis lotados na DEHS na elucidação do caso. “Desde quando tomamos conhecimento do fato a equipe plantonista se dirigiu ao local e fez um excelente trabalho. Após dois dias e meio, de intensas diligências, conseguimos identificar e qualificar o autor do fato”, disse.

Leão enfatizou que a Polícia Civil tem 30 dias para concluir as investigações e analisar todas as circunstâncias do crime. Entretanto, a autoridade policial irá pedir a revogação do mandado de prisão temporária para prisão preventiva. “Sabemos os motivos que o levaram a cometer o homicídio da dona de casa, mas ainda temos esse período para finalizarmos o inquérito policial. O caso está totalmente solucionado e a Polícia Civil, mais uma vez, dá uma pronta resposta à sociedade”, argumentou.

Marlisson foi indiciado por homicídio qualificado, por motivo fútil. O jovem segue preso na carceragem da DEHS, à disposição das autoridades policiais.