Jovem baleado na cabeça agoniza durante horas à espera de uma tomografia no Platão Araujo

A situação caótica da saúde no Amazonas reduziu as chances de vida de mais um cidadão. Desta vez, foi o comerciante Thiago Dantas Batista, de 28 anos, que morreu na noite dessa quarta-feira (9), no Hospital João Lúcio – zona Leste da capital. Ele foi atingido por um disparo de arma de fogo na cabeça, após ter tentado reagir a um assalto. Além de ser vítima da violência desenfreada que tem tomado conta de Manaus, Thiago também foi vítima do descaso do governo do Estado com a saúde pública. 

Segundo a Polícia Militar, o crime aconteceu por volta das 18h no bairro Cidade de Deus, na zona Norte da cidade. A vítima foi encaminhada para o Hospital Platão Araújo, mas os atendimentos adequado e emergente foram impossibilitados por conta de um defeito no aparelho de tomografia da unidade hospitalar.

Somente na madrugada do dia seguinte, ainda com a bala alojada na cabeça e depois de esperar por horas em uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) móvel, o paciente foi transferido para o hospital João Lúcio. Segundo informações do hospital, Thiago não resistiu e morreu na sala de cirurgia.

A situação pela qual o paciente passou deixa dúvidas sobre o real conceito que o Estado tem tido em relação à palavra “Urgência”; neste exato momento, o hospital recebe dezenas de pacientes que precisam do tomógrafo, essencial em procedimentos cirúrgicos.

O deputado Dermilson Chagas (Podemos) já havia alertado sobre o problema da falta de materiais adequados. No último dia 5, ele denunciou, nas redes sociais, outro caso em que um paciente precisou aguardar por horas para fazer o mesmo exame; no entanto, só conseguiu após ter sido transferida para o Hospital Francisca Mendes, situado na zona Norte de Manaus.

“Agora, imagina que o Governo gasta fortunas fazendo reformas e não gasta um centavo para fazer a comprar de tomógrafos ou reformá-los, ou dar manutenção nas máquinas que estão nos hospitais!? Essa é a realidade da saúde do nosso Estado, que não melhorou! Enquanto esse grupo estiver aí, muitas vidas vão se perder por conta de exames essenciais”, disse o deputado.

Segundo informações recebidas pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde – que investiga indícios de corrupção na rede estadual de saúde – em Manaus, grande parte dos tomógrafos está quebrada.

A reportagem do Radar entrou em contato com a Secretaria Estadual de Saúde (SES-AM) para pedir esclarecimentos. Em resposta, a pasta afirmou que irá realizar a compra de quatro aparelhos novos de tomografia para as redes de urgência e emergência, e que lamenta o falecimento do paciente.