Jovem que teria ligado para adolescente antes de morrer se apresenta à polícia

blank

Foto: Reprodução

O jovem João Matheus Souza Sarmento, 19, suspeito de participação no assassinato da adolescente Lenita Silva da Silva, que tinha 14 anos, se apresentou nesta terça-feira (2), na sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) para prestar esclarecimentos.

Ele seria a pessoa que teria convidado a adolescente para sair, momentos antes do crime.

O corpo de Lenita foi encontrado na noite do dia 23 de maio (sábado), por volta das 23h, na rua Carlota Bomfim, ramal da Praia Dourada, bairro Tarumã, zona Oeste de Manaus.

De acordo com o delegado Paulo Martins, titular da DEHS, João Matheus convidou Lenita para uma festa particular em sítio localizado no Tarumã. Após o convite, a adolescente teria entrado em um carro modelo Gol, de cor vermelha, na companhia de João e mais dois ‘amigos’, sem saber que tinha caído em uma armadilha.

“Tivemos acesso ao conteúdo do celular da vítima e ela teria falado com este indivíduo por meio de uma rede social, posteriormente ele desativou a conta na rede. João teria sido a pessoa que foi buscá-la na porta da casa da avó, na Compensa”, disse Martins.

Em depoimento, o jovem alega que foi enganado por dois amigos que estavam com ele no veículo, revelando que, durante o trajeto a caminho da festa, os outros dois indivíduos haviam decidido matar Lenita. O motivo, ainda de acordo com João, seria ‘traição’. Na ocasião, Lenita tinha deletado um integrante de uma facção criminosa a membros de outra organização rival.

Conforme o titular da DEHS, a motivação da morte de Lenita estaria relacionada ao envolvimento dela com o tráfico de drogas. Os nomes dos outros envolvidos no assassinato são mantidos em sigilo pela polícia para não atrapalhar as investigações.

João Matheus teve o mandado de prisão temporária cumprido e ficará à disposição da Justiça.