Jovens são presos acusados de matar sargento da PM

jovens-sao-presos-acusados-de-matar-sargento-da-pm-1-capa

Daniel Marques de Oliveira Castelo, 21, João Victor Araújo Carvalho, 21, e Moisés Marialva Asceni, 20, foram apresentados à imprensa em entrevista coletiva, realizada no prédio da Delegacia Geral como acusados pelo roubo e assassinato do sargento da Polícia Militar Denilso Xavier Torres. O crime ocorreu na noite da última sexta-feira, dia 30 de setembro, por volta das 20h30, na Rua Guapuruju, antiga Rua 10, bairro Monte das Oliveiras, zona Norte. A vítima tinha 48 anos.

jovens-sao-presos-acusados-de-matar-sargento-da-pm-delegado-adriano-felix-20De acordo com o delegado de Roubos, Furtos e Defraudações, Adriano Felix, o trio foi preso durante ação policial deflagrada ontem, dia 5, com o apoio de integrantes do Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (Fera). Os trabalhos iniciaram por volta das 6h, com a prisão de Daniel em uma casa situada no Ramal do Bandeirante, quilômetro 14 da Rodovia Federal BR-174. João Victor foi preso por volta das 14h30, no local onde trabalhava, uma floricultura localizada na Avenida do Turismo, bairro Tarumã, zona Oeste. Moisés foi localizado por volta das 15h, na residência onde morava, na Rua Cajual, Comunidade Rio Piorini, bairro Colônia Terra Nova, zona Norte.

Os infratores foram presos em cumprimento a mandados de prisão preventiva, expedidos na última terça-feira, dia 4, pela juíza Andrea Jane Silva de Medeiros, da 5ª Vara Criminal.  Durante a coletiva de imprensa o titular da Derfd explicou que no dia do crime o trio estava em um carro modelo Gol, de cor prata e placas JWN – 4598, apreendido na ação policial. Daniel, João Victor e Moisés cometeram roubos nas ruas do bairro Monte das Oliveiras. Na ocasião, Denilso estava em um ponto de venda de churrasco, momento em que Daniel e João Victor o abordaram.

jovens-sao-presos-acusados-de-matar-sargento-da-pm-2A dupla pediu o celular do sargento, que reagiu ao roubo, sacou a arma dele e ainda efetuou três disparos em direção aos infratores, mas não conseguiu atingi-los. Daniel, em posse de uma espingarda calibre 12, de fabricação caseira, revidou efetuando um disparo que atingiu o sargento. A vítima ainda foi socorrida por familiares e levada ao Serviço de Pronto Atendimento (SPA) Eliameme Rodrigues Mady, no Conjunto Galileia, bairro Monte das Oliveiras, mas não resistiu ao ferimento e foi a óbito na unidade hospitalar.

Segundo o delegado, após efetuar o disparo que atingiu o PM, Daniel largou a arma no local do crime. Ele e João Victor saíram correndo e entraram no carro, onde Moisés os aguardavam para apoiar na fuga. Felix informou que antes de abordarem o sargento os infratores efetuaram dois roubos a pedestres naquela área da cidade. O veículo e a arma utilizados nos delitos foram apreendidos pelos policiais civis.

Conforme a autoridade policial, as equipes da Derfd iniciaram as investigações em torno do caso logo após o crime. “Nossa equipe foi ao local onde ocorreu o delito. Por meio das imagens das câmeras de segurança de estabelecimentos comerciais daquela área e dos trabalhos desempenhados pela equipe de inteligência da Derfd, conseguimos identificar os envolvidos e prendê-los ontem. Cada um dos infratores teve participação na ação criminosa. Daniel foi quem atirou no sargento, João Victor era a pessoa que pegava os pertences das vítimas nos roubos e Moisés era responsável por dirigir o veículo e dar fuga aos comparsas”, detalhou Felix.

O delegado ressaltou que Daniel declarou, em depoimento, que a intenção não era matar o policial e sim apenas roubar o celular para comprar drogas, já que os infratores são usuários de entorpecentes. “O caso está elucidado. Aproveito a oportunidade para orientar a todos os colegas policiais que não reajam a roubos, pois nessas ações podem colocar em risco, além da própria vida, a integridade física de amigos e familiares que estejam presentes”, enfatizou o delegado.

jovens-sao-presos-acusados-de-matar-sargento-da-pm-cunhado-da-vitima-walter-gusmaoO cunhado da vítima, Valter Gusmão, participou da coletiva de imprensa realizada na manhã de hoje e aproveitou a oportunidade para agradecer à polícia pelo empenho na elucidação do caso. “Hoje nossa família se encontra mais confortável com a prisão dessas pessoas, pois a Justiça está sendo feita. Meu cunhado era um homem de bem, que sempre prestou um excelente serviço à população. Eu agradeço, em nome de todos os meus familiares, a Polícia Civil pelo empenho em solucionar o latrocínio que teve como vítima o meu cunhado”, argumentou.

Daniel, João Victor e Moisés foram indiciados por latrocínio. Ao término dos procedimentos cabíveis, eles serão conduzido à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, onde irão permanecer à disposição da Justiça.

FOTOS: Erlon Rodrigues / Assessoria de Imprensa da PC-AM