Juiz entra com queixa-crime contra radialista por uso de concessão pública de rádio e TV para ataques pessoais e mentiras

A queixa-crime contem nove páginas e apresenta robustas provas da prática de crimes de calúnia, injuria e difamação contra Roberto Taketomi

Foto: Reprodução

O juiz da 2ª Vara Cível, Roberto dos Santos Taketomi ingressou, nessa terça-feira (17/05), no Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) com uma queixa-crime contra o radialista e apresentador do programa Manhã de Notícias, Ronaldo Tiradentes, por uso de concessão pública de radiodifusão da rádio e TV Tiradentes apara ataques pessoais e mentiras contra o magistrado.

De acordo com a denúncia, desde o dia 10 de maio deste ano, o comunicador estaria utilizando maior parte de seu programa diário em rádio e TV para apresentar fatos desonrosos descompromissados com a verdade e abusivos ao exercício da liberdade de imprensa, inclusive com xingamentos e palavras de baixo calão.

Os ataques pessoais, segundo o magistrado, iniciaram um dia após a publicação de sentenças em processos por danos morais apresentados pelo senador Eduardo Braga (MDB/AM) contra Ronaldo Tiradentes. O episódio foi condenado pela Associação dos Magistrados Amazonenses (Amazon) e o Tribunal de Justiça em nota de Moção Pública contra as constantes atitudes do radialista.

O documento da denúncia contém nove páginas, e nele, o juiz Roberto Taketomi apresentou ao TJAM provas robustas das práticas de crimes de calúnia, injuria e difamação por parte doo comunicador. “O apresentador Ronaldo Tiradentes faz uso abusivo da liberdade de imprensa para atacar magistrados que profiram atos decisões contra seus interesses”, diz um trecho da denúncia.

Veja a petição inicial na íntegra

Veja a queixa-crime na íntegra