Juíza induz criança vítima de estupro a desistir de aborto

A menina, de 11 anos, está em um abrigo há mais de um mês para evitar que a interrupção da gestação seja realizada

A Justiça de Santa Catarina decidiu manter uma criança de 11 anos, grávida após ser vítima de estupro, em um abrigo para evitar que ela faça um aborto legal. Em despacho, a juíza Joana Ribeiro Zimmer, titular da Comarca de Tijucas, afirma que a decisão, inicialmente, seria motivada para proteger a criança do agressor, mas que havia ainda uma outra razão: “Salvar a vida do bebê”.

“O fato é que, doravante, o risco é que a mãe efetue algum procedimento para operar a morte do bebê”, diz trecho da sentença.

O caso foi revelado nesta segunda-feira (20/6) pelo site The Intercept.