Julgamento no TJAM: Adail, 11 anos e 10 meses de prisão, Maria Lândia, 11 anos e Adriano Salan, 10 anos e 5 meses

adail-pinheiro preso

Um dos processos originados da Operação Vorax, realizada em 2009, para apurar a existência de uma rede de pedofilia no município de Coari foi julgado nesta terça-feira (18) pelo Tribunal de Justiça do Estado (TJAM), resultando na condenação do prefeito Adail Pinheiro, afastado do cargo por decisão da Justiça, e preso no quartel de Cavalaria desde o dia 08 de fevereiro desse ano. O relator do processo foi o desembargador Rafael Romano. A pena determinada pelo TJAM a Adail Pinheiro é de 11 anos e 10 meses, em regime fechado, e perda do mandato de prefeito.

Também foram condenados os servidores públicos Adriano Teixeira Salan, ex-secretário de administração de Coari, a 10 anos e 5 anos; e Maria Lândia Rodrigues dos Santos, ex-secretária de Ação Social da Prefeitura, a 11 anos. Eles são acusados de aliciarem essas meninas para a prostituição. Mas ainda cabe recurso aos acusados.

adriano salan e maria landia

Adriano Teixeira Salan e Maria Lândia Rodrigues dos Santos