Justiça condena a 27 anos de prisão homem que matou bebê ao tentar esfaquear mãe

Aldriano Gomes Tavares foi condenado, nessa quinta-feira (21), a 27 anos e seis meses de reclusão pelos crimes de feminicídio tentado e homicídio qualificado contra o próprio filho, um bebê de apenas 1 mês de vida. O crime ocorreu em julho de 2017, na Travessa Miracema, bairro São Jose 3, zona Leste. A sentença foi expedida pelo Conselho de Sentença da 2ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Manaus.

A tentativa de homicidio foi contra a ex-companheira Aldriano, Aline Ferreira Pinheiro, e o homicidio do filho que se encontrava no colo da mãe no momento em que o infrator tentou esfaqueá-la.

Durante o interrogatório realizado na sessão de julgamento, a defesa sustentou a prática do crime de homicídio consumado, o reconhecimento do erro de alvo, ou seja, ele atingiu o bebê e não a ex-companheira, bem como a desclassificação para homicídio culposo e retirada da qualificadora do motivo torpe.

Após debate, o Conselho de Sentença decidiu acatar a tese do Ministério Público Estadual (MPE-AM) condenando o acusado nas penas do crime de feminicídio, na modalidade tentada, bem como crime de homicídio qualificado por motivo torpe em relação ao bebê. O réu não terá direito de recorrer da sentença em liberdade.

“Caso Bianca”

No mesmo dia, foram julgados também Geibson Fernandes Farias Matos e Joabi Farias de Matos, por ter asfixiado a menina Bianca de Oliveira Gomes, à época com 12 anos de idade, que após quatro dias de desaparecimento foi encontrada morta em um igarapé no bairro Colônia Antônio Aleixo, zona Leste, em junho de 2013.

Durante o julgamento, o MPE-AM defendeu a condenação de Joabi Farias de Matos nas penas do crime de homicidio qualificado pelo emprego de asfixia, com agravante do crime ter sido cometido contra uma criança, bem como a absolvição do acusado Geibson Fernandes Farias Matos.

A defesa dos réus sustentou negativa de autoria e ausência de provas para condenação de Joabi Matos, e acompanhou o MPE-AM na manifestação ministerial no sentido de absolver Geibson.

O Conselho de Sentença decidiu pela condenação de Joabi Matos a 17 anos e três meses de reclusão e votou pela absolvição de Geibson Fernandes por falta de elementos que provassem sua participação no crime.

As duas sessões de julgamento foram realizadas no Fórum Ministro Henoch Reis e presididas pela juíza de Direito Ana Paula de Medeiros Braga Bussulo.

(*) Com informações do TJ-AM