Justiça condena homem a mais de 18 anos de prisão por feminicídio

Um homem foi condenado a 18 anos e nove meses de prisão, em regime fechado pelo crime de feminicídio. Arnaldo de Souza Viana matou a própria companheira, Raquel Brito Batista a facada em maio de 2017. A sentença foi dada pelo Conselho de Sentença da 2ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Manaus.

Segundo consta no inquérito policial que originou a denúncia do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE), Arnaldo teria ido abrir o portão para Raquel, sua companheira, que chegava do trabalho no dia 25 de maio de 2017, por volta das 2h30, na Rua Leópolis (antiga Padre Zózimo), bairro Zumbi dos Palmares, zona Leste de Manaus.

No momento em que foi recebida, Raquel teria comentado sobre o estado de embriaguez de Arnaldo. Irritado com o comentário, ele esfaqueou a companheira e feriu a própria mãe, Rosa de Souza Viana que tentou defender a nora.

No julgamento, o réu foi absolvido da acusação de lesão contra ascendente – no caso, a mãe –, crime descrito no §9º do art. 129 do Código Penal.

Presidida pela juíza Ana Paula de Medeiros Braga, a sessão de julgamento teve como representante do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE) o promotor de justiça Igor Starling Peixoto. O réu teve em sua defesa as advogadas Camila Bertolini de Paiva e Maria do Perpétuo Socorro Nunes Feijó Florêncio.

Com informações da assessoria do TJAM.