Justiça da Califórnia rejeita processo movido por ‘Bebê do Nirvana’, que foi capa do disco ‘Nevermind’

Bebê do Nirvana, que foi capa do disco Nevermind, processa banda por exploração sexual — Foto: Divulgação

A Justiça da Califórnia rejeitou o processo movido por Spencer Elden, que apareceu aos 4 meses de idade na capa do disco “Nevermind”, do Nirvana. Em agosto, o jovem conhecido como “bebê do Nirvana” abriu um processo contra a banda, alegando que foi explorado sexualmente quando era criança.

Os advogados de Elden apontavam que houve “exploração sexual infantil comercial, desde quando ele era menor de idade até os dias atuais”. Eles ainda afirmam que a imagem faz com que Elden se assemelhasse a “um trabalhador do sexo – agarrando-se por uma nota de um dólar”.

Segundo a BBC, a banda pediu o arquivamento do processo no mês passado alegando que os argumentos de Elden não tinham nenhum mérito.

“A alegação de Elden de que a fotografia na capa do álbum Nevermind é ‘pornografia infantil’ não parece séria”, afirmaram os advogados do grupo, alegando ainda que qualquer pessoa que, seguindo a teoria de Elden, tivesse uma cópia do disco ‘seria culpada pelo crime de posse de pornografia infantil'”.

Eles ainda afirmaram que até recentemente, Elden parecia gostar da notoriedade de ser o “bebê do Nirvana”

“Ele já refez a fotografia muitas vezes, tatuou o título do álbum, participou de um talk show fazendo uma paródia de si mesmo e usando um macacão em tom nude, autografou capas de cópias do álbum colocados à venda no eBay e usou esse contexto para tentar sair com mulheres”, enumerou a defesa da banda.

A defesa de Elden tinha até 30 de dezembro de 2021 para responder o pedido de anulação da ação, mas perdeu o prazo.

Processo

Segundo o jornal “The Guardian”, o processo aberto na Califórnia, nos EUA, citava diversas partes e conta com 15 réus, incluindo membros da banda, Courtney Love – viúva de Kurt Cobain -, e a gravadora que lançou e distribuiu o disco nas últimas três décadas. O álbum foi lançado em 1991.

Ainda de acordo com a publicação, Spencer Elden, atualmente com 30 anos, pedia uma indenização de US$ 150 mil (cerca de R$ 787 mil) de cada uma das partes e queria que seu caso fosse analisado por um júri.

No processo, Elden alegava produção de pornografia infantil com sua imagem, que o mostra nadando nu em direção a uma nota de um dólar.

Ele diz ainda que sofreu danos permanentes com a capa, incluindo “sofrimento emocional extremo e permanente com manifestações físicas”.

O processo cita também que Elden nunca foi pago para aparecer na capa e que seus pais não assinaram uma autorização de direito de imagem. A foto foi feita especialmente para a capa. Informações prévias davam conta de que os pais de Elden receberam US$ 250 na época para o ensaio exclusivo.

História da foto
“Nevermind” foi lançado em 24 de setembro de 1991 após diversos ensaios para definir quem seria o bebê da foto. Apesar de Elden ter sido o escolhido, tinha mais meninas nos testes — e o pai do eleito era amigo do fotógrafo.

De novo na piscina

Em 2008, o site da MTV norte-americana divulgou uma foto de Spencer Elden, então com 17 anos, repetindo a imagem da capa. Elden voltou a mergulhar em uma piscina atrás de uma nota de um dólar, mas, desta vez, usando um calção de banho.

Na época, Elden disse que “era estranho pensar que tanta gente já me viu pelado – me sinto como a maior estrela pornô do mundo”.

Ele já havia refeito a cena em 2001, em uma matéria da revista “Rolling Stone” norte-americana.

Em 2016, Elden recriou novamente o ensaio para o jornal New York Post, marcando o aniversário de 25 anos do álbum.