Justiça eleitoral ouve prefeito de Maués acusado de crime eleitoral

O juiz da 5ª zona eleitoral do município de Maués (267 Km da grande Manaus), Rafael Brito, realizou uma audiência, nessa segunda-feira (19), para ouvir o prefeito Junior Leite, o vice-prefeito Paulo Cezar Leite Said, o deputado estadual Sidney Leite, o presidente da Câmara Municipal, Simildon Rocha, Márcio Lima e Lissandro Breval Santiago, todos apontados como envolvidos em um suposto crime eleitoral cometido no pleito de 2016.

Conforme a Justiça, a Ação contra os réus trata sobre a apreensão de balsas de um programa agrícola estadual e da Utilização de um Helicóptero nas eleições que estavam a serviço de Junior Leite.

Em setembro de 2016, durante a campanha para prefeito daquele município, a juíza Dinah Câmara Fernandes de Souza, que respondia pela 5ª Zona Eleitoral de Maués, determinou apreensão de três balsas com máquinas e equipamentos que estavam na zona rural de Maués supostamente beneficiando o então candidato a prefeito Junior Leite, além da suspensão de dois convênios do Governo do Estado.

A juíza eleitoral ressaltou na época que o então secretário de Estado Sidney Leite usou de suas prerrogativas de agente político, através da Agência de Desenvolvimento Sustentável (ADS) para beneficiar o sobrinho que era o candidato a prefeito.

Após ouvir as partes envolvidas o Juiz Eleitoral determinou a continuidade da audiência para dia 23 de abril, com o comparecimento de todos os presentes com seus respectivos advogados. Os próximos a depor são o piloto do helicóptero Márcio Lima, e o vereador Simildon Rocha, presidente da Câmara Municipal.