Justiça Eleitoral proíbe divulgação de pesquisa “fanta” no Amazonas

O juiz auxiliar do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), Victor André Liuzzi Gomes, determinou a suspensão de divulgação da pesquisa solicitada pela empresa JJ Coelho ME por diversas irregularidades. A decisão atendeu pedido de impugnação da coligação “Renova Amazonas”, do candidato ao governo do Estado David Almeida (PSB). A pesquisa eleitoral seria divulgada nessa quarta-feira (29).

No pedido ao TRE, a coligação sustentou que o requerimento de registro estava tomado de irregularidades, como a ausência do plano amostral completo, a não disponibilização das tabelas informadas, além da estratificação insuficiente, contendo apenas sexo e idade dos supostos entrevistados.

O jurídico da coligação apontou, ainda, no registro da pesquisa, a divergência do plano amostral apresentado com os dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a não disponibilização dos discos e a não apresentação da nota fiscal. No pedido foi contestado também que a descrição da pesquisa, além de ser extremamente confusa, é genérica quanto ao critério geográfico adotado.

Em sua decisão, o juiz diz que os erros apontados pela coligação Renova Amazonas, se comprovados, “são graves o suficiente para comprometer a pesquisa como um todo, motivo pelo qual reputo presentes os requisitos necessários para concessão da tutela de urgência”.

Registrada no TSE no último dia 23 deste mês, a pesquisa foi solicitada pela empresa JJ Coelho ME, que contratou o Instituto Franco & Rodrigues Comunicação Social e Empreendimentos Ltda, a pedido do Jornal Continental, do Estado de Rondônia.