Justiça obriga Gol a fazer buscas por cadela desaparecida em aeroporto

Foto: Reprodução

Uma decisão liminar do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) determinou que a companhia aérea Gol contrate um serviço de buscas para encontrar a cadela Pandora. A determinação foi publicada nessa quarta-feira (5/1).

O animal de estimação desaparecido desde 15/12, quando escapou da caixa de transporte durante uma conexão no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Pandora e o tutor, Reinaldo Junior, saíram de Recife (Pernambuco) em um voo da Gol e tinham como destino a cidade de Navegantes (Santa Catarina).

“A primeira vitória, logo será a mais importante: encontrar a Pandora. Continuamos procurando por ela”, escreveu Reinaldo no Instagram sobre a decisão.

Custos de hospedagem

A liminar prevê ainda que a Gol seja responsável pelo pagamento da hospedagem e alimentação do tutor da Pandora durante o período de buscas em Guarulhos.

O TJ-SP determinou também que o Aeroporto de Guarulhos pague multa R$ 5 mil caso não autorize Reinaldo Junior e a equipe entrar no local para atividades relacionadas a buscas.

Gol

A Gol informou ao Metrópoles que contratou duas empresas especializadas no rastreamento profissional de animais de estimação desaparecidos: a Busca Pet e a Alerta Pet.

A companhia aérea também afirmou que custeou as despesas de hospedagem, alimentação e transporte para Reinaldo e sua companheira desde 15/12. Segundo a Gol, esse amparo vai continuar por mais 30 dias, contando a partir de 5/1.

“Nos comprometemos a, à luz desse triste caso, revisar todas as etapas que envolvem o transporte anual de cerca de 200 mil pets a fim de aprimorá-lo, evitando que situações como essa jamais possam voltar a acontecer”, disse a empresa em nota.