Anúncio Advertisement

Justiça rejeita recurso dos professores e mantém greve da categoria ilegal

O Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) rejeitou o recurso dos professores e manteve ilegal a greve dos educadores da rede estadual de Ensino no Amazonas. A decisão foi tomada pelo desembargador Flávio Humberto Pascarelli, que negou o mandado de segurança ingressado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam), contra a sentença do desembargador Elci Simões que proibiu a paralisação.

Flávio Humberto Pascarelli alegou que a decisão do desembargador Elcir Simões não foi ‘abusiva, tampouco ilegal’. Os professores consideraram ‘abusiva e ilegal’ a sentença do desembargador Elci Simões.

Na decisão, Elci Simões aplicou multa diária de R$ 40 mil ao Sinteam e ao Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (Asprom-Sindical). O recurso do Sinteam foi apresentado no dia 22 de abril.

A ação contra a greve foi apresentada pela Procuradoria Geral do Estado (PGE). O mandado de segurança ajuizado pelo Sinteam está registrado com o nº 4001788-32.2019.8.04.0000.