Kim Kardashian aparece com anel de diamante ‘roubado’ e se explica

Kim Kardashian, 39, intrigou seus seguidores ao aparecer com um anel semelhante ao que ela disse ter sido roubado em Paris, em 2016.

Com valor estimado em US$ 4 milhões (R$ 16,8 milhões), segundo o E! Entertainment, a joia era um presente de Kanye West que selava o compromisso do casal. No entanto, a socialite foi surpreendida por assaltantes quando estava sozinha em um hotel da capital francesa, e acabou tendo a peça roubada há três anos.

Em uma campanha publicitária recente, a Kardashian apareceu com o anel e recebeu indagações sobre uma possível reconquista da joia. No entanto, ao portal norte-americano Entertainment Tonight, ela explicou que infelizmente não recuperou o anel, mas sim pegou uma peça semelhante emprestada da marca do objeto perdido.

Relembre o caso

Kim Kardashian foi rendida em 2016 por dois homens armados e mascarados, vestidos como policiais, em seu quarto de luxo no Hôtel de Pourtalès, durante viagem a Paris para acompanhar a semana de moda. Conforme anúncio da polícia local, os criminosos levaram cerca de 9 milhões de euros em joias.

Após o assalto, a proteção de Kim e de sua família foi reforçada com ex-agentes do serviço secreto americano, de acordo com o site americano TMZ. A socialite passou a andar em carro blindado e acompanhada de, pelo menos, dois guarda-costas fortemente armados.

Ainda segundo o tabloide, as Kardashians se reuniram com ex-membros da CIA e do exército de Israel para discutir estratégias de segurança. Kris Jenner, mãe de Kim, pretendia estender a proteção às filhas Kourtney, Khloe, Kendall e Kylie.

Em um episódio de 2017 do programa “Keeping Up with the Kardashians”, reality show que acompanha a família Kardashian no canal E! Entertainment, Kim contou que os ladrões a arrastaram para fora do quarto, e que ela teve medo de correr e ser baleada nas costas.

Kim disse implorou por sua vida, pedindo ao concierge do hotel que falasse em francês com os homens. “Por favor, eu tenho uma família. Me deixe viver!”. Segundo ela, por causa da gritaria, os ladrões taparam sua boca com fita. Ela imaginava que eles fossem terroristas e, neste momento, acreditou que seria estuprada.

“Eles agarraram minhas pernas e eu não estava com roupa de baixo. Ele me puxou contra ele na frente da cama e eu pensei, ‘ok, é agora que eu serei estuprada’. Eu estava mentalmente preparada.”

A socialite também acreditava que seria morta pelos bandidos: “Eles apontaram a arma para mim e eu sabia que aquele seria o momento em que atirariam na minha cabeça”disse. Em janeiro de 2017, 16 pessoas foram presas na França por participarem do crime.