La Palma: vulcão já emitiu 250 mil toneladas de dióxido de enxofre

REUTERS/Nacho Doce/Direitos reservados

O Instituto Vulcanológico das Ilhas Canárias (Involcan), na Espanha, estimou em 250 mil toneladas a quantidade de dióxido de enxofre (S02) emitida para a atmosfera pelo Vulcão La Palma, desde o início de sua erupção em 19 de setembro.

Em publicação nas redes sociais, o Involcan diz que o cálculo pode ser “um valor subestimado” por se basear na realização de medições de SO2 em posição móvel terrestre, que representam “limitações importantes devido a vários fatores”.

A instituição das Ilhas Canárias que tem monitorado o Vulcão Cumbre Vieja, desde que entrou em erupção, em setembro passado, na ilha espanhola de La Palma, adianta que o conhecimento dos níveis de emissões de CO2 permite também estimar em 35 milhões de metros cúbicos o volume de magma liberado pelo vulcão.

De acordo com a agência de notícias espanhola EFE, a comissão científica que acompanha o Plano de Emergência Vulcânica das Canárias (Involcan) calculou, há vários dias, a quantidade de material emitido pelo vulcão, incluindo os piroclastos – materiais lançados na atmosfera por erupções explosivas -, em cerca de 80 milhões de metros cúbicos.

Há duas novas fissuras descobertas na cratera do Cumbre Vieja. A lava não pára de descer até o mar há duas semanas.