Legislação eleitoral e normas sanitárias são temas de encontros entre lideranças partidárias e Justiça Eleitoral

Foto: Divulgação/ MPAM

Lideranças partidárias e Justiça Eleitoral reuniram-se em encontros promovidos pelo Ministério Público Eleitoral (MPE), nos municípios de Uarini e Alvarães. O objetivo foi debater sobre o respeito à legislação eleitoral e às normas sanitárias para enfrentamento à Covid-19 durante as eleições municipais de novembro,

As reuniões ocorrerem no último sábado (26), um dia antes do início da campanha eleitoral, respectivamente na Câmara Municipal e na sede do Fórum. Outra rodada de encontros já está agendada para os dias 30/9 (Uarini) e 02/10 (Alvarães).

Durante as reuniões, o promotor Eleitoral Gustavo van der Laars e o Juiz Eleitoral Igor Caminha relembraram as vedações, esclareceram dúvidas e buscaram o compromisso de respeito à lei pela classe política para as eleições municipais de novembro.

De acordo com o promotor Eleitoral Gustavo van der Laars, as reuniões visam ao compromisso firmado para coibir práticas antidemocráticas e de corrupção, garantindo um pleito leal com embate de ideias e propostas.

“Penso que a boa política, com boas práticas e bons exemplos, repercute positivamente perante a sociedade. O candidato (e seus colaboradores) que apresenta conduta ética, obedecendo às leis na sua campanha, certamente será recompensado nas urnas pelos eleitores”, opinou o Promotor Eleitoral.

Além dos esclarecimentos, foram acordadas a definição de um cronograma e itinerário para passeatas, o que possibilitará a preparação das forças de segurança pública do Município.

Além disso, também foi regulamentada a utilização dos fogos de artifício, de modo que não haja abusos que prejudiquem a saúde das pessoas e animais, perturbem o sossego e causem incêndios ou acidentes.

“Outro ponto crucial abordado foi a questão de utilização de estratégias para que sejam evitadas aglomerações nos comícios e passeatas, respeitando as diretrizes sanitárias, tendo em vista o atual cenário de pandemia que ainda nos assola”, relatou Gustavo van der Laars.