Lenda da Fórmula 1, Frank Williams morre aos 79 anos na Inglaterra


A Williams Racing anunciou, na manhã deste domingo (28) a morte de seu fundador Frank Williams. O inglês, conhecido por ser empresário e chefe de equipe do icônico time de Grove, falece aos 79 anos e deixa três filhos. A causa da morte não foi divulgada.

“É com grande tristeza que, em nome da família Williams, a equipe confirma a morte do Sir Frank Williams, fundador e ex-chefe de equipe da Williams Racing, aos 79 anos”, disse a equipe em um comunicado. “Depois de dar entrada no hospital na sexta-feira, Sir Frank faleceu em paz nesta manhã, cercado por sua família. Hoje, prestamos homenagem ao nosso líder muito amado e inspirador. Frank fará muita falta. Solicitamos que todos os amigos e colegas respeitem os desejos de privacidade da família Williams neste momento”, completou.

Nascido em South Shields no dia 16 de abril de 1942, Frank teve curta carreira como piloto e mecânico até fundar a Frank Williams Racing Cars, em 1966, onde fez campanhas com pilotos na Fórmula 2

Chefe da F1, Stefano Domenicali contou que soube nesta manhã da morte de Williams, a quem classificou como “um membro muito amado e respeitado da família da F1”.

“Esta manhã, Claire Williams ligou para me informar a notícia muito triste sobre a morte do amado pai dela, Sir Frank Williams”, disse Domenicali. “Ele era um verdadeiro gigante do nosso esporte que superou os mais difíceis desafios na vida e batalhou todos os dias para vencer dentro e fora da pista. Perdemos um membro muito amado e respeitado da família da F1 e a falta dele será imensamente sentida”, continuou.

As incríveis conquistas dele e a personalidade ficarão para sempre marcadas em nosso esporte”, assegurou. “Meus pensamentos estão com a família Williams e amigos neste momento triste”, completou.

e Fórmula 3. A primeira experiência na F1 veio em 1969, com o parceiro piloto Piers Courage, com um chassi comprado da Brabham. Courage terminou duas corridas no segundo lugar.

Nos anos 1970, Frank seguiu como proprietário e chefe de equipes em diferentes parcerias com pilotos, até chegar em 1976, quando firmou sociedade com o magnata canadense Walter Wolf. Desentendimentos entre as duas partes fizeram Frank deixar a equipe em 1977 para formar um novo time: a Williams Grand Prix Engineering, presente até hoje no grid da Fórmula 1.

Com parceria iniciada junto do amigo e engenheiro Patrick Head, o time conquistou nove títulos de Construtores, em 1980, 1981, 1986, 1987, 1992, 1993, 1994, 1996 e 1997, além de sete títulos de pilotos com Alan Jones, Keke Rosberg, Nelson Piquet, Nigel Mansell, Alain Prost, Damon Hill e Jacques Villeneuve.

Desde 1986, Frank se locomovia por uma cadeira de rodas por conta de um acidente de carro na França. Pouco tempo depois, ainda no mesmo ano, foi condecorado como Comendador da Ordem do Império Britânico pela Rainha Elizabeth, e posteriormente cavaleiro, em 1999. Foi casado com Virginia Berry entre 1974 e 2013, quando ficou viúvo.

Ele permaneceu no cargo de chefe de equipe da Williams até 2012, quando foi substituído pela filha Claire. A família deixou de ter envolvimento oficial com a equipe em setembro de 2020, quando a venda para o grupo de investimentos Dorilton Capital foi concluída.

Chefe da F1, Stefano Domenicali contou que soube nesta manhã da morte de Williams, a quem classificou como “um membro muito amado e respeitado da família da F1”.

“Esta manhã, Claire Williams ligou para me informar a notícia muito triste sobre a morte do amado pai dela, Sir Frank Williams”, disse Domenicali. “Ele era um verdadeiro gigante do nosso esporte que superou os mais difíceis desafios na vida e batalhou todos os dias para vencer dentro e fora da pista. Perdemos um membro muito amado e respeitado da família da F1 e a falta dele será imensamente sentida”, continuou.

As incríveis conquistas dele e a personalidade ficarão para sempre marcadas em nosso esporte”, assegurou. “Meus pensamentos estão com a família Williams e amigos neste momento triste”, completou.