Lentidão do Estado beneficia pedófilos, afirma Luiz Castro

luiz 8Desde janeiro deste ano, o deputado estadual Luiz Castro (PPS) solicita a intervenção estadual em Coari devido às inúmeras denúncias de uma rede de exploração sexual de menores, desvio de verba pública e corrupção que imperam no município. A demanda foi ressaltada hoje (18), durante pronunciamento na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam).
Na opinião do parlamentar, os trâmites judiciais em todo o País são muito lentos, acabando por adiar decisões que precisam ser tomadas de forma rápida, firme e eficaz.
A situação em Coari, ao longo dos últimos anos, demostra a necessidade de um reordenamento institucional. A demora na decisão acaba por beneficiar os acusados do esquema, como o prefeito afastado Adail Pinheiro.
“A justiça tardia, normalmente, corre um sério risco de se tonar injustiça. Sabemos dos graves descumprimentos à Constituição – em especial à administração pública e aos direitos dos menores de idade – naquele município”, assinalou Luiz Castro. “Coari é comandada pelo crime organizado de corrupção e de pedofilia”, completou.
Segundo o parlamentar, a coisa mais dramática do processo de corrupção de Coari é o da ‘compra’ crianças: o aliciamento de meninas de nove a 13 anos para abusos sexuais que contou, inclusive, com a participação de servidores municipais e com o dinheiro do erário público.
Luiz Castro revelou o intenso movimento da quadrilha de Coari para comprar o testemunho de vítimas e de familiares, com o objetivo de tentar desacreditar as provas que até em programas nacionais foram expostas e colocadas ao público.
“A cada semana em que o Estado se mantém inerte e não promove a intervenção, mais força este esquema encontra para cooptar e deturpar todo o processo judicial da Operação Vorax e de outras investigações. Em qualquer país decente do mundo minimamente civilizado, este esquema já teria sido derrocado há muito tempo”, criticou o deputado.