Leo Dias diz que Anitta ironizou vazamento e que não teme processo

Após sete anos acompanhando de perto a carreira de Anitta e um ano escrevendo sobre ela, tem algo que o jornalista Leo Dias só descobriu na própria pele perto do lançamento da biografia sobre a artista: o tamanho do interesse que ela desperta nas pessoas a ponto de ver o seu livro, “Furacão Anitta”, vazado alguns dias antes do lançamento.

“Quando começou a vazar, ela me falou: ‘Seja bem-vindo ao mundo Anitta, tudo meu é assim, acontece uma confusão'”, conta Dias.

“Furacão Anitta” (R$ 29,90, 192 págs., Agir) começou a ser vendido no dia 30 de março, aniversário de 26 anos da cantora. Dias antes, porém, começaram a circular na internet versões piratas da publicação. “Eu lamento, mas se está sendo pirateado é porque há algum interesse do público”, afirmou o jornalista, que é um dos apresentadores do programa Fofocalizando, do SBT.

Segundo ele, o grupo Ediouro, responsável pela publicação, estuda medidas legais para punir quem vazou o texto.

Na biografia, Dias conta a trajetória da cantora, desde a infância até o grande sucesso nacional e a carreira internacional. O livro destaca as muitas brigas de Anitta com empresários e outros famosos, como as cantoras Pabllo Vittar e Preta Gil -quase sempre, a publicação indica que a artista tem a razão e não deixa claro a versão dos outros envolvidos.

Apesar disso, o jornalista diz que “não tem medo de processos”. Uma das histórias mais complicadas mostradas na biografia envolve a ex-empresária de Anitta, Kamilla Fialho. Ela já rebateu o que Dias escreveu no livro dizendo se tratar de um “compilado de mentiras” e fruto de uma “mente doentia”.

“Eu estou ‘calçadíssimo’. Tenho todos os áudios das entrevistas com o Renan (irmão da cantora) e com a Anitta”, afirma Dias. Além disso, o biógrafio diz que tudo o que está escrito sobre Fialho na publicação está relatado no processo judicial que envolve a cantora e a empresária.

Embora seja anunciada como uma biografia não autorizada, “Furacão Anitta” expõe uma visão positiva da cantora. Em alguns trechos do livro, Dias deixa de ser o narrador e se inclui na história. O jornalista não esconde que é um admirador da cantora e que tem contato próximo com ela. “Mas não sou amigo dela, não estava na festa de aniversário dela nem nunca fui chamado”.

Os dois se conhecem, no entanto, há muito tempo. Dias lembra que esteve na gravação do clipe de “Menina Má”, em 2012, ainda antes da cantora estourar com “Show das Poderosas”, um ano depois. Na época, ele era repórter do TV Fama, da RedeTV!

“A ideia (de escrever a biografia) surgiu há uns dois anos, eu pensei: ela está crescendo, essa menina vai longe, vou fazer uma biografia dela, mostrando tudo que ela passou, porque eu sabia de muita coisa.”

Dias conta que fez três entrevistas longas com a cantora e ela também deu autorização para ele conversar com sua mãe, Miriam, e com o irmão, Renan. Ao todo, ele afirma que entrevistou em torno de “20 pessoas” e demorou um ano para escrever. Se recusaram a falar com ele o pai, Mauro Machado, retratado com ausente na obra, e a empresária Kamilla Fialho.

O jornalista também disse que procurou escrever de forma simples, sem rebuscamentos, para que todas as pessoas possam ler.

Sobre a revelação que o livro apresenta de que Anitta vai deixar os palcos em 2023, Dias diz acreditar nisso ou em uma mudança radical em sua carreira. “De duas uma: ou ela para ou ela muda. Não vai mais expor o corpo, não será mais o símbolo sexual, até porque hoje ela trabalha compulsivamente, é até meio doentio”, conclui.

O jornalista estará em São Paulo nesta quinta (4) e no sábado (6) para lançar “Furacão Anitta”. Na quinta (4), às 19h, ela autografa a biografia na Livraria da Vila, no Shopping JK Iguatemi, e no sábado (6), na Saraiva do shopping Center Norte.