Lewandowski cobra explicação do governo sobre vacinas prestes a vencer

TCU divulgou que 28 milhões de doses de imunizantes contra Covid, em estoque do Ministério da Saúde, vencem até o final de agosto

Foto: divulgação

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que a União se manifeste sobre o estoque de vacinas contra Covid-19 com vencimento até o final de agosto deste ano.

A decisão foi tomada após a Rede Sustentabilidade apresentar um pedido na Corte com base em uma inspeção realizada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) que identificou que o Ministério da Saúde tem em estoque cerca de 28 milhões de doses de vacinas prestes a vencer.

O ministro Vital do Rêgo, do TCU, estabeleceu que o Ministério da Saúde adote as “ações necessárias” para evitar a perda das vacinas.

O número reúne vacinas da Pfizer e da AstraZeneca. Segundo o TCU, as 28 milhões de doses que expiram até agosto custaram R$ 1,21 bilhão aos cofres públicos.

O relatório do tribunal apontou que cada dose da AstraZeneca foi comprada por R$ 41,83, enquanto o valor da dose da Pfizer foi de R$ 66,89, o que somaria prejuízo de R$ 1,09 bilhão e R$ 128,66 milhões respectivamente.

No pedido ao STF, a Rede solicita que sejam estabelecidas medidas de transparência sobre as informações dos estoques das vacinas; e investigação dos responsáveis pelo estoque e avaliação de eventual improbidade administrativa.

Metrópoles procurou o Ministério da Saúde, que não se manifestou até a publicação desta reportagem.