Líder comunitário é preso por estuprar e chantagear criança de 12 anos

O líder comunitário Francisco Hedilberto Santos de Oliveira, 49, foi preso em flagrante, pela Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por estupro de vulnerável e ameaça de uma criança de 12 anos, além de outros crimes previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

A delegada Joyce Coelho, titular da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), falou, na tarde da quinta-feira (30), durante coletiva de imprensa realizada às 14h30, no prédio da unidade policial, sobre a prisão em flagrante do líder comunitário.

De acordo com a delegada, o homem foi preso pela equipe da especializada na manhã desta quinta-feira, por volta das 6h30, na rua Iranduba, bairro São José Operário, zona leste da capital. “Ele marcou um segundo encontro com uma criança de 12 anos, perto da casa da vítima, onde ele pretendia, novamente, manter relações sexuais com ela.

De acordo com a delegada, as investigações em torno do caso iniciaram após a criança de 12 anos registrar Boletim de Ocorrência (BO) na Depca, informando que Francisco havia abusado sexualmente dela no dia 22 de maio deste ano.

Investigação

Durante as diligências em torno do caso, foi apurado que o infrator costumava criar perfis falsos em redes sociais e passava a manter conversas com adolescentes. Ele obtinha os números das vítimas por meio de grupos no aplicativo de mensagens instantâneas WhatsApp.

“Após o sentimento de confiança adquirido, ele inseria no contexto das conversas vídeos e imagens de cunho sexual. Na sequência, ele montava a imagem dessa vítima em um perfil de nudez e, a partir daí, passava a chantagear a vítima, dizendo que iria publicar as imagens nas redes sociais, com o intuito de conseguir um encontro sexual”, detalhou Coelho.

Sob as ameaças de divulgação da imagem, a vítima acabou sendo atraída pelo infrator. “Após o primeiro encontro mediante a ameaça, ele filmou o ato sexual, fotografou e, com esse material, planejava continuar obtendo encontros com essa vítima”, disse a autoridade policial.

Durante os trabalhos, os policiais civis constataram que o líder comunitário mantinha conversas com muitas adolescentes e crianças, por meio do aplicativo de mensagens instantâneas. O infrator também armazenava imagens e vídeos contendo cenas de sexo com crianças e adolescentes em dois aparelhos celulares.

Os telefones e um pen-drive foram apreendidos ao longo dos trabalhos. “O flagrante é um alívio para essa vítima. Nossa equipe encontrou no telefone dele mais de 20 conversas com crianças e adolescentes nessa faixa etária”, relatou a delegada.

Flagrante

Francisco Hedilberto foi autuado em flagrante por estupro de vulnerável, ameaça e por fotografar ou publicar cena de sexo explícito ou pornográfico envolvendo criança ou adolescente. Ao término dos procedimentos cabíveis, ele será levado para Audiência de Custódia no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, bairro São Francisco, zona sul da capital.

Com informações da PC