Líder do PSDB de Artur na CMM diz da tribuna da Casa que vai participar de protesto contra o preço da tarifa de ônibus

montagem mario pronta

Em tom emocionado, o líder do PSDB, partido do prefeito Artur Neto, na Câmara Municipal de Manaus (CMM), vereador Mário Frota, ocupou a tribuna da Casa esta manhã (19), para comentar os atos de protesto que estão ocorrendo em grande parte das cidades brasileiras. Frota considerou este um momento histórico, somente comparado aos atos públicos por eleições diretas e a democratização do País.

Em tom de indignação, criticou os gastos com a Copa do Mundo, dando como exemplo os milhões que sairam dos cofres públicos para a construção da Arena da Amazônia, assim como os altos custos investidos na construção do que ele denominou de “puxadinho” do aeroporto Eduardo Gomes. Mas, Frota passou longe (nem sequer citou) o principal tema que deu origem aos protestos em todo o país, os constantes reajustes das tarifas do transporte público e, em contrapartida, o péssimo serviço prestado à população pelas empresas do setor, sem que o Poder Público tome providências. O parlamentar contou que vai participar da manifestação que está sendo mobilizada pelos estudantes, através das redes sociais, para esta quinta-feira (20), cujo tema é: “Ato Nacional contra os aumentos da passsagem” – será que ele leu o convite?

E o Radar pergunta: Será que o parlamentar está sofrendo de perda de memória recente e não lembra que a tarifa de ônibus em Manaus foi reajustada no último mês de março, pelo prefeito Artur Neto, de quem ele líder do partido na Câmara? E ele não lembra, não, que em março defendeu a decisão do prefeito em reajustar o preço da tarifa? Na época do Movimento “Diretas Já” todo mundo lutava por uma coisa só, mas agora o nobre vereador ainda não se deu conta que os interesses têm sido inversamente proporcionais? E que, nessa inversão, ele está do outro lado? E que se quiser mudar alguma coisa, nem precisa participar de manifestação, é só falar com seu líder politico, e quem sabe ele resolve fazer os empresários pararem de humilhar o povo dessa terra – e ainda pagando caro por isso!. (Any Margareth)