Anúncio

Liderança pró-impeachment de Wilson Lima ganha cargo de secretário executivo do Governo

Depois ainda tem gente que me esculacha quando digo que sou totalmente contra esse negócio de impeachment. Sou contra, porque as pessoas têm que entender que suas escolhas, sejam elas na vida ou na política, geram consequências e que elas têm que assumir os resultados dessas escolhas. E, também, porque, na minha idade, ficamos com um pé atrás – pra não dizer os dois pés – quando vemos gente com discurso de vestal da moral, defensor do povo e falando em boas intenções. Como diria minha véia e sábia mãe, “de boas intenções o inferno anda cheio”.

Falo sobre isso porque informações – com provas, logicamente, senão não me interessa – só vêm a ratificar o que eu penso. Um exemplo disso é que um dos líderes do movimento pró-impeachment de Wilson Lima, que foi visto inclusive organizando manifestações de rua pedindo a cassação de Lima e seu vice, deixou isso pra lá quando ganhou um cargo exatamente na Casa Civil, comandada por ninguém menos que o vice-governador, Carlos Almeida. (ver nomeação no final da matéria)

O nome dele é Cesar Augusto Marques, mas chamado costumeiramente de apóstolo César Marques, presidente do Partido Trabalhista Cristão (PTC). O cristão César Marques foi pras ruas liderar as manifestações pró-impeachment de Wilson Lima no dia 20 de dezembro e dez dias depois, 30 de dezembro, virou discípulo (sinônimo de apóstolo) de Wilson Lima com o cargo de secretário executivo de políticas governamentais da Casa Civil.

Isso quer dizer que o apóstolo ex-pró-impeachment de Wilson Lima agora vai fazer política governamental com um salário de R$ 12.200,00 (doze mil e duzentos reais). Moral da história: foi só o dinheiro público entrar por uma porta que o impeachment pulou pela janela.

Nomeação de César Augusto Marques

Cargo e remuneração