Limpador de para-brisa acusado de agredir motorista já tinha passagem na polícia por roubo

flanelinhaO limpador de para-brisa ou flanelinha, Alex de Castro Lima, 20, acusado de agredir o advogado José Aberto Barbosa Dias dos Santos Barreto, 57, após ele não ter aceitado que o rapaz limpasse o vidro do carro, já foi identificado e detido por policiais da Delegacia Especializada em Crimes contra a Mulher (DECCM), unidade policial da área onde houve a ocorrência e onde a vítima fez a denúncia de lesão corporal e dano. Apesar do flanelinha já ter passagem na polícia sob acusação de roubo e agora estar sendo acusado de agressão e dano ao veículo do advogado, ele já está nas ruas novamente.

De acordo com a delegada da DECCM, Andrea Nasccimento, o jovem foi interceptado na Bola do Conjunto Eldorado, bairro Parque Dez de Novembro, zona Centro-Sul da cidade, após o advogado formalizar agressão sofrida na última quarta-feira, dia 2, por volta das 21h30, naquela mesma área da cidade, no momento em que aguardava o semáforo ficar verde para seguir o trajeto planejado.

“José Alberto aguardava a abertura do sinal quando o flanelinha apareceu e se ofereceu para limpar o vidro do carro do advogado. Diante da recusa do homem, o jovem pegou uma pedra e lançou no vidro dianteiro do veículo, atingindo o condutor do automóvel, que além de ter o vidro estilhaçado, ficou visivelmente machucado na orelha esquerda”, explicou a titular da DECCM.

Conforme a delegada, assim que a ocorrência foi formalizada uma equipe da DECCM foi deslocada para apurar o caso. Andrea Nascimento ressaltou que quatro flanelinhas que atuam naquela área da cidade foram conduzidos à unidade policial para prestarem esclarecimentos sobre o ocorrido e apontaram Alex como o autor do crime.

“Em seguida ligamos para a vítima para que fizesse o reconhecimento do infrator na delegacia. Durante consulta ao Sistema de Integrado de Segurança Pública (Sisp) descobrimos que Alex já tinha passagem pela polícia por roubo”, enfatizou Nascimento.

Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil, “o flanelinha prestou esclarecimentos e assinou Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por lesão corporal e dano. Ao término dos procedimentos cabíveis no prédio da DECCM Alex foi liberado para responder pelos crimes em liberdade”.

FOTOS: Divulgação / Assessoria de Imprensa da PC-AM