Linha de frente contra covid-19: morte de Rosemary Costa Pinto completa um ano neste sábado (22)

Ela atuava na presidência da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), que hoje leva seu nome em homenagem

Foto: Edu Prado

Neste sábado, dia 22 de janeiro, completa um ano da morte de Rosemary Costa Pinto pela COVID-19. Ela era diretora-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), que atualmente leva seu nome em homenagem.

Farmacêutica Bioquímica e epidemiologista há mais de 27 anos, Rosemary esteve na linha de frente no combate à doença no Amazonas desde a chegada do coronavírus no estado, mas faleceu antes de ter a oportunidade de se imunizar.

Ela foi diagnosticada no dia 5 de janeiro de 2021, foi internada no dia 11 e morreu no dia 22 em decorrência de complicações da covid-19.  Na época, Manaus passava pela segunda onda da doença e o colapso no sistema de saúde com a crise do oxigênio.

Primeira presidente

Rosemary foi uma das responsáveis pela implementação da FVS como órgão no estado e possuía uma carreira dentro da fundação . Além disso, foi a primeira mulher a presidir a instituição.

Contribuição

No dia da sua morte, o governo do estado classificou a epidemiologista como “uma das bússolas do Amazonas na interpretação dos dados da pandemia no Amazonas”.