Luiz Castro cobra do governo presença de psicólogos e assistentes sociais nas escolas

Não é a primeira vez e, pelo que tudo indica, não será a última que o deputado Luiz Castro, cobra do governo o cumprimento da Emenda Constitucional 83/2014, que determina a presença de assistentes sociais e psicólogos nas escolas da rede pública estadual. Apesar de ter sido aprovada, a emenda ainda não foi cumprida pelo governo.

De acordo com o parlamentar, atualmente não existem 20 profissionais, entre psicólogos e assistentes sociais, nos quadros da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) para atender as mais de 230 mil crianças matriculadas na rede pública de ensino do Estado.

“O que oito psicólogos podem fazer diante de um quadro tão grande de problemas que atrapalham e muito, às vezes inviabiliza, o ensino de crianças que saem de lares destroçados; que são expostas as mazelas das drogas, da violência, dos abusos? Até hoje não temos o respeito à Constituição estadual”, lamentou.

O deputado lembrou que recentemente no concurso da Seduc houve uma oferta de vagas para assistentes sociais e psicólogos, mas que ainda é muito pequena para tender as mínimas necessidades do Estado. “Na Audiência realizada nessa segunda (13), na Aleam, para discutir o assunto ficou evidente a falta desses profissionais nas escolas estaduais”, frisou.

Emenda

De autoria dos deputados Luiz Castro e José Ricardo (PT), a Emenda Constitucional 83/2014, aprovada por esta Casa legislativa, determina ao poder público que mantenha esses profissionais nas equipes pedagógicas das escolas da rede pública da capital e do interior do Estado.

Luiz Castro defende uma política pública condizente com todos os avanços que aconteceram nos países em que a educação se tornou o principal instrumento de inclusão social, de diminuição das desigualdades sociais e de promoção do desenvolvimento.

“Países como Alemanha, Canadá, Finlândia e Coréia do Sul, deram verdadeiro saldo de qualidade na educação a partir do momento que incluíram esses profissionais no seu corpo docente para atender a demanda de suas escolas”, finalizou.