Lutador de luta livre diz que espancou a namorada pra se defender; ele já está na cadeia

Lutador 1 capa

O lutador de luta livre e diz que Bacharel em Direito, Bruno Augusto Holanda, não negou que tenha agredido a namorada e nem tentado sufocá-la com um travesseiro, mas justificou a violência como “legítima defesa”. Ele recebeu voz de prisão da delegada titular da Delegacia Especializada em Crimes contra a Mulher (DECCM), Andrea Nascimento, no prédio da unidade policial, na tarde desta terça-feira, dia 21, por voltas das 15h. O crime ocorreu na madrugada do último domingo, dia 19 de junho.

Segundo a delegada, o autor da agressão se apresentou espontaneamente na especializada, acompanhado de advogados, e recebeu voz de prisão no prédio da DECCM em cumprimento a mandado de prisão. Ele argumentou que teria visto mensagens no celular da vítima enquanto ela dormia e, motivado por ciúmes, teria iniciado uma discussão com a garota.

“Ele afirmou que sufocou a vítima com um travesseiro em uma tentativa de se defender, pois, segundo ele, também teria sido agredido pela namorada após ela acordar. O fato é que a quando a vítima nos procurou, logo após a agressão, estava realmente muito lesionada, sangrando bastante e o que podemos ver é que nada justifica uma agressão dessa forma. Ela nos relatou que além de ter sido agredida ele ainda a ameaçou de morte caso ela procurasse a polícia para contar o que havia acontecido”, declarou a titular da DECCM.

Andrea Nascimento ressaltou que diante do depoimento da vítima ela representou o pedido de prisão preventiva em nome do infrator. O documento foi expedido no início da tarde de hoje, pela juíza Ana Lorena Teixeira Gazzineo, que estava respondendo pela 2ª Vara Criminal.

“Após a formalização do crime pela vítima demos inícios às diligências. Estivemos no apartamento de Bruno, onde aconteceram as agressões, mas ele não foi encontrado no local. Acredito que após a repercussão do caso ele decidiu se entregar. Já estamos tomando todas as providências cabíveis, inclusive, requeremos a concessão de medida protetiva em favor da vítima”, argumentou Andrea.

Bruno foi indiciado por lesão corporal, injúria e ameaça. Após os procedimentos cabíveis ele será encaminhado à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, onde irá permanecer à disposição da Justiça.

FOTOS: Erlon Rodrigues/Assessoria de Imprensa da PC-AM