Macaulay Culkin elogia Michael Jackson e chama pai de ‘bastardo malvado’

Reprodução/internet

O ator Macaulay Culkin, 38, se abriu em um podcast de Michael Rosenbaum’s, o “Inside of You”, publicado na terça-feira (15), para falar sobre sua complicada vida familiar, sua infância como uma estrela de cinema e a amizade não convencional com Michael Jackson.

Culkin comentou que ele se tornou amigo do ícone pop ainda jovem, e que Jackson teria se aproximado dele para “protegê-lo”.

“Ele estendeu a mão para mim porque muitas coisas grandes estavam acontecendo rapidamente comigo, e eu acho que ele se identificou com isso”, disse o interprete de “Esqueceram de Mim”. “Ninguém na minha escola católica tinha ideia do que eu estava passando e ele era o tipo de pessoa que passou pela mesma coisa louca, e queria ter certeza de que eu não estava sozinho.”

Em relação às críticas sobre a diferença entre idades, ele disse que “é fácil dizer que era [uma amizade] estranha, mas no final não era, porque fazia sentido.”

Culkin ainda elogiou o cantor do pop, dizendo que ele era “hilário, doce e charmoso”. “Para mim, é tão normal e mundano”, acrescentou. “Foi uma amizade normal.”

Infância e drogas 

Culkin também comentou sobre a experiência de crescer em frente aos olhos de um enorme público. Ele disse que era protegido, especialmente porque cresceu em Nova York e não em Los Angeles.

Questionado sobre o uso de substâncias químicas, disse que chegou a se interessar por elas, mas que nunca se entregou às drogas e nem usou heroína.

“Uma das razões pelas quais eu nunca usei [heroína] foi porque pensei que gostaria”, explicou. Sobre as demais drogas, ele diz que gosta de “provar tudo até certo ponto”.

Em 2004, o ator foi preso após a polícia parar seu carro por excesso de velocidade e encontrar maconha, Clonazepam e Xanax (Alprazolam) em seu carro. Ele diz que, naquele dia, não havia tantas notícias para publicar e por isso sua prisão foi manchete. Ainda disse que o caso “foi um pouco de extorsão”.

“Engraçado que o ator Edgie Furlong foi preso no mesmo dia por ter derrubado um tanque de lagosta”, brincou. “Ele estava tentando libertar as lagostas de um supermercado. Teve muita sorte de ser preso no mesmo dia que eu, ninguém fala sobre isso.”

Relação com pai

terceiro tópico mais debatido por Culkin no podcast foi suas relações familiares, especialmente com o pai. “Ele era um homem complicado. Sinceramente, era um bastardo malvado. Ele não deveria ter sido pai”, disse.

O ator acrescentou que o pai não era uma pessoa amorosa e que nunca disse a palavra “orgulho” a ele. Segundo o filho, os pais acreditavam em castigos corporais e chegaram a agredi-lo com um cinto e uma espátula.

Culkin e o pai não se falaram por cerca de 23 anos, embora seu antecessor tenha tentado contato há cerca de 18 a 20 anos atrás. “Eu me amo, acho que sou muito legal e incrível, e não gostaria de mudar nada. Estou feliz”, finalizou Culkin.

Com informações da Folhapress.