Maduro anuncia ida “muito em breve” à Coreia do Norte

Presidente venezuelano Nicolás Maduro anunciou hoje que tem planos de visitar a Coreia do Norte, país com o qual a Venezuela mantém relações bilaterais e comerciais mas que ainda não teve a oportunidade de conhecer.

“Muito em breve irei à Coreia (do Norte)”, disse Nicolás Maduro, que falava à televisão estatal a partir do palácio presidencial de Miraflores em Caracas, para o programa “con el mazo dando” (dando com o maço) do presidente da Assembleia Constituinte (AC, composta unicamente por simpatizantes do regime), Diosdado Cabello.

Durante o programa foi feita referência à visita de uma semana que Diosdado Cabello fez em finais de setembro à Coreia do Norte e ao Vietnã.

“Voê já abriu a porta, o caminho, e para lá vamos em breve”, frisou Nicolás Maduro.

O Presidente da Venezuela disse estar “pendente de todos os acordos” assinados entre a Venezuela e a “República Democrática Popular da Coreia (do Norte)”. Por outro lado, pediu a Diosdado Cabello, que é tido como o segundo homem mais forte do regime “chavista”, que lhe “contasse” como é a Coreia do Norte.

Em resposta Diosdado respondeu que tinha um CD e que para o descrever “a palavra adequada é impressionante”.

O dirigente acrescentou ainda que o vídeo seria divulgado pela televisão estatal venezuelana “para que o povo veja, a Venezuela veja, o que faz um ataque contra um país, contra um povo, perante o mundo que termina acreditando em muitas coisas”.

“É impressionante que não vimos nem uma só pessoa com cara aborrecida, triste. Todos estavam alegres” disse, sublinhando que na Coreia do Norte “não há opositores e tudo está em ordem”.

Diosdado Cabello elogiou ainda o “nível de organização popular, do povo” e também a produção agrícola, a indústria de vestuário, a educação e a atenção que é dada à saúde.

“Não vimos um papel no chão em nenhuma parte. Nem uma folha das árvores (…) Como manipulam (a imprensa internacional), é uma cidade (Pyongyang) extremamente bela, muito moderna, nas ruas os meninos saem das aulas e os professores levam os meninos a casa”, disse.

Nicolás Maduro respondeu que é preciso enviar os presidentes das câmaras municipais da Venezuela à Coreia do Norte para “fazerem um curso de limpeza”.