Magnífico reitor da UEA decide não dar posse aos diretores e coordenadores eleitos pela comunidade acadêmica

Quando a gente acha que já terminou todo o “arsenal” de manobras políticas impopulares e autoritárias – nem vou escrever as outras expressões que estou pensando porque são impublicáveis – do Magnífico Reitor da UEA, Cleinaldo Costa, aí surge mais uma denúncia que deixa às claras uma nova trama pra manter o poder a qualquer custo naquela unidade de ensino superior. Informações que chegaram ao Radar, nessa terça-feira (6), dão conta de sua magnificência Cleinaldo Costa decidiu que não vai dar posse aos novos diretores e coordenadores eleitos na última semana de fevereiro para comandarem as diversas unidades da Instituição. A Comissão Eleitoral Geral da UEA, publicou o resultado final das eleições para diretores e coordenadores de qualidade no último dia 05 de março (documento no final da matéria)

O Magnífico Reitor utiliza a Lei Eleitoral onde está previsto que não pode haver nomeações e nem demissões de servidores públicos em período eleitoral para justificar o fato de se recusar a dar posse aos novos diretores e coordenadores da UEA. Ele alega que isso poderia prejudicar sua candidatura à reitoria onde ele já está há cinco anos e quer ficar mais quatro – esse cargo num é vitalício não, meu povo!

“Há duas semanas tivemos as eleições. Ele quer impedir que os diretores assumam o seus respectivos papeis na universidade. Ele alega que vai consultar o jurídico da UEA, pois ele como candidato à reeleição, não pode dar posse, pois vai atrapalhar na candidatura dele”, disse um dos membros da liderança estudantil da UEA. Mas, não seria um contra-senso de sua magnificência: então por que fez eleição já que não iria dar posse?

Tanto as lideranças estudantis, quanto professores da universidade, apontam qual seria o real motivo, segundo eles, para que o reitor não queira dar posse aos eleitos. Na verdade, o Magnífico Cleinaldo Costa estaria mesmo mantendo os atuais diretores e coordenadores, que deveriam ter deixado os cargos em dezembro do ano passado, porque eles são seus correligionários políticos – qualquer semelhança com apaniguados não é mera coincidência. “Esses diretores são cabos eleitorais dele (Cleeinaldo Costa), fazendo de tudo, até usar a estrutura da universidade para garantir sua reeleição. Este o único e verdadeiro motivo. Os novos diretores foram eleitos através da livre manifestação do voto da comunidade acadêmica e não têm ligação nenhuma com ele (reitor). Cleinaldo Costa vê isso como um risco à sua reeleição já que ele não aceita que aqueles que estão em cargo de direção não sejam manipulados por ele”, diz um dos professores da UEA.

E mesmo sob protestos da comunidade acadêmica que elegeu os diretores e coordenados, Cleinaldo Costa, decidiu que quem está no cargo não sai e quem foi eleito não assume. E que ele decide os destinos da universidade, mesmo sendo um péssimo exemplo para uma instituição pública que forma cidadãos.

RESULTADO DAS ELEIÇÕES PARA DIRETOR(A) E COORDENADOR(A)