Mais de 3,3 mil casos de dengue foram notificados no Estado em 2019

 

De janeiro a setembro deste ano, foram notificados cerca de 3.372 casos de dengue no Amazonas. No ano passado, esse número foi de 4.271, uma redução 21% ou de quase 900 casos entre os períodos. Os dados são do boletim epidemiológico de doenças transmitidas por vetores do Aedes aegypti, elaborado pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM).

Segundo levantamento, os casos da zika apresentam redução de 74% em 2019 no Estado. Em nove meses, foram notificados 112 casos, contra 443 casos no mesmo período de 2018. Na contramão da redução, a febre chikugunya apresenta aumento de 15%. Até setembro de 2019, foram notificados 192 casos da doença contra 166 casos notificados no ano passado.

Uma equipe técnica da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) está presente desde segunda-feira (14) em Tabatinga (a 1.106 quilômetros de Manaus), para executar ações de controle do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikugunya. A cidade de Letícia, na Colômbia, que faz fronteira com Tabatinga, está com um surto para a doença, com 600 casos de dengue confirmados.

A equipe deslocada pela FVS é composta por especialistas em vigilância ambiental, epidemiológica e laboratorial instalou um Comitê de Crise em Tabatinga, com a participação de especialistas de Letícia, representantes das Forças Armadas e da Secretaria Municipal de Saúde de Tabatinga.

Seguido a Fundação, não há novas notificações na cidade amazonense, que permanece até o momento com 34 casos notificados suspeitos de dengue, sendo 12 confirmados pelo Laboratório de Fronteira (Lafron-FVS), o que representa 35,29% do total de casos notificados.

O Lafron-FVS em parceria com a Fundação Osvaldo Cruz da Amazônia (Fiocruz), realiza um estudo molecular para a identificação do tipo de vírus da dengue que está circulando em Tabatinga, bem como o rastreamento de possível circulação simultânea dos vírus da zika e chikugunya.

Com informações da assessoria da FVS-AM.